Dificuldade de mineração de Bitcoin: fundo atingido, mas o algoritmo se ajusta

Hashrate do Bitcoin tende a subir a partir de agora

A dificuldade de mineração de Bitcoin definitivamente aumentou, com quedas associadas no hashrate e na lucratividade, mas o ajuste do algoritmo não alarma os mineradores.

Segundo relatos, a dificuldade de minerar Bitcoin parece ter aumentado, chegando a 7,3% nesta manhã. Este número é atualizado a cada 2016 blocos (aproximadamente a cada 2 semanas).

No entanto, este aumento na dificuldade não parece alarmar os mineradores, que estão cientes das consequências da proibição forçada de criptomoedas e mineração emitida na China na primavera passada.

De fato, ao considerar que a China sozinha respondeu por 54% do hashrate total do Bitcoin e teve que ficar offline, é razoável pensar que a volta dos mineradores não seria moleza. Com tudo isso, a rede do Bitcoin não perdeu o ritmo.

A este respeito, o engenheiro Brandon Arvanaghi afirmou:

“Não houve nenhum tempo de inatividade para a rede do Bitcoin. Essa é realmente a parte mais inteligente do software do Bitcoin: o ajuste de dificuldade.”

Além disso, a redistribuição do hashrate, antes concentrada na China, parece ter redistribuído a lucratividade. Veja como Jason Deane, analista da consultoria de cripto da Quantum Economics, o descreve:

“Os níveis de hashrate ainda estão 42,1% abaixo do pico em maio de 2021, quando ocorreu o êxodo da China. Esse déficit de hashrate significa que aqueles que estão conectados à rede do Bitcoin agora estão ganhando dinheiro.”

A resiliência dos mineradores apesar da dificuldade de mineração de Bitcoin

A probabilidade de muitos mineradores que estavam na China terem se mudado para outro lugar pode ser descrita como um ato de resiliência contra a nova dificuldade imposta à mineração de Bitcoin.

De fato, apesar das quedas na lucratividade total vistas, em comparação com o período anterior ao banimento, as mineradoras continuam lucrando muito mais agora do que antes.

Isso só foi possível devido à autocorreção do algoritmo do Bitcoin que, já em julho de 2021, havia visto uma diminuição na dificuldade em comparação com os períodos anteriores.

Nesse sentido, se o custo de energia e hashrate permanecerem inalterados, o cálculo para minerar Bitcoin deve permanecer tão simples quanto era no início.

A este respeito, Mike Colyer, CEO da empresa de criptomoedas Foundry disse:

“Vimos o fundo do declínio do hashrate, e só é possível subir a partir daqui. Este próximo ajuste reflete o fato de que os mineradores estão construindo capacidade e instalando novas máquinas. Há uma quantidade enorme de máquinas saindo da China que precisam encontrar novas casas ”.

Fonte: Cryptonomist

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.