Efeitos da COVID-19? Confira como a Netflix se saiu no primeiro trimestre de 2020

Pandemia da COVID-19 gerou profundas alterações no cotidiano das pessoas, afetando trabalho e lazer. Isso, é claro, gera consequências também nas empresas, como é o caso da Netflix

A COVID-19 chegou com o mundo basicamente despreparado para lidar com ela e rapidamente mudou o cotidiano da maioria das pessoas. O principal fator ligado a isso é a chamada “quarentena” que, na verdade, é um conjunto de medidas de isolamento social visando parar a contaminação pela doença.

Conforme essas medidas foram endurecendo, cada vez mais pessoas foram obrigadas a trabalhar em casa, no chamado “home office”. Outras que não dispunham dessa possibilidade foram enviadas para casa em férias forçadas, além de outras situações específicas.

O ponto relevante aqui não é a causa, mas a consequência. As medidas de isolamento social colocaram mais pessoas em casa, mudando a dinâmica da sociedade, seja para trabalho, seja para entretenimento. Enquanto empresas como a Uber enfrentam problemas com a baixíssima demanda por serviços de transporte de passageiros, por outro, lado sai ganhando com o aumento na demanda por entregas através de seu ‘Uber Eats’.

Além da Netflix | 12 serviços de streaming diferentes que você ...

“Ok, mas o que tudo isso tem a ver com a Netflix?” – caso você tenha feito essa pergunta, saiba que o assunto está completamente interligado. Como uma empresa voltada ao entretenimento, ainda mais streaming de vídeos, ter mais pessoas com tempo ocioso é vantajoso. Mais ainda, pessoas restritas em suas casas, sedentas por lazer e formas de passar o tempo.

Apenas no primeiro trimestre de 2020 a Netflix ganhou mais de 15 milhões de novos usuários (15,8 milhões, para ser mais exato), chegando ao total de 183 milhões de assinantes. Resultado, é claro, do amplo catálogo de filmes e séries oferecidos na plataforma, mas também do aumento inesperado da demanda, com milhões de pessoas em casa durante a pandemia.

Além disso, a empresa obteve US$ 5,8 bilhões no primeiro trimestre desse ano, o que representa um crescimento de 27,6% em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados mencionados foram tornados públicos ontem (21), em carta aos investidores da empresa. Você pode ler o documento na íntegra (em inglês) clicando aqui.

Vale lembrar que mesmo sem conseguir realizar grandes lançamentos pela impossibilidade de dar sequência nos processos de filmagem já iniciados, a empresa afirmou seguir investindo pesado no serviço, melhorando funcionalidades no site, como o controle parental, por exemplo. Além disso, a Netflix criou um fundo de mais de US$ 100 milhões para ajudar funcionários e empresas ligadas a ela durante a pandemia.

 

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader desde 2017. Aficionado por tecnologia e entusiasta das criptomoedas, viu no WeBitcoin a oportunidade de unir duas paixões.