Mais de US$40 bilhões perdidos em um dia: Especialistas apontam fatores por trás da queda do Bitcoin

Bitcoin apresenta tendência de queda desde fevereiro

Como muitos já esperavam, após a alta de 4% da semana passada o preço do Bitcoin não se manteve. No decorrer dos últimos dias os investidores presenciaram quedas contínuas, ao passo que a criptomoeda se aproxima da baixa anual.

Nos dias 5 e 6 de setembro o Bitcoin sofreu quedas de 13% e 10%, respectivamente. O mercado de criptomoedas também enfrenta quedas contínuas, visto que sua valorização caiu para US$201 bilhões no dia 5. Este número surpreende, visto que em menos de 24h foram perdidos aproximadamente US$40 bilhões.

O cenário atual apresenta uma das maiores quedas diárias dos últimos 3 anos.

Leia mais: Parceria com a Ripple auxilia banco japonês a emitir internacionalmente US$4,5 bilhões

Em agosto houve uma variação similar. O valor quase atingiu a baixa anual de US$192 bilhões, mas o declínio aconteceu ao longo de de toda uma semana, ocorrendo entre os dias 7 e 14.

Durante o mês passado o Bitcoin atingiu o maior nível de estabilidade visto desde junho de 2017. O preço se manteve em torno de US$6000 durante quase todo o mês. Ao passo que se aproximava a virada do mês, o valor subiu, superando US$7000.

A esperança de muitos era que o valor continuasse em alta, mas de acordo com especialistas, a rápida valorização de US$7000 para US$7400 criou certa pressão nas vendas, chamando a atenção dos ursos do mercado. Desde então, o Bitcoin sofreu grandes quedas.

Aparentemente, a criptomoeda segue uma tendência desde fevereiro: o preço sobe até atingir um valor em torno de US$10000, e depois sofre quedas, se reaproximando de US$6000.

Muitos enxergam esse declínio como uma ótima oportunidade para novos investidores.

Leia mais: Criptomoedas colapsam após Goldman Sachs noticiar adiamento em sua cripto mesa de operações

De acordo com @NaeemAslam,  Analista-chefe do setor de Análise de mercado da ThinkMarkets, especulações intensificaram a tendência de declínio. Declarou também que a tendência de queda é similar desde dezembro do ano passado.

Webitcoin: Mais de US$40 bilhões perdidos em um dia: Especialistas apontam fatores por trás da queda do Bitcoin

Os especuladores ficaram loucos e estão tentando tirar tanto sangue desse comércio quanto puderem. O Bitcoin não mudou desde dezembro passado, então qual é o pânico? ”, diz Aslam.

O Preço do Bitcoin e a questão da Goldman Sachs

Nesta semana a Goldman Sachs lançaria formalmente sua mesa de operações de trading de Bitcoin. Devido a problemas internos, o lançamento foi adiado, e logo depois o valor da criptomoeda despencou.

De acordo com Aslam, é cedo para culpar o adiamento pelas quedas, visto que o lançamento não havia sido cancelado.

A Goldman apenas atrasou o processo, eles ainda possuem muito dinheiro e talento investidos na área. Os investidores deveriam saber que é comum que bancos atrasem esse tipo de processo de as condições do mercado não forem favoráveis, e estamos falando de começar algo completamente novo.“, declarou.

Na visão de um analista técnico de criptomoedas conhecido como Uzi, é complicado apontar o adiamento da Goldman Sachs como a única causa da correção.

Eu sinto que as notícias da Goldman Sachs sobre a reversão de planos em sua mesa de operações definitivamente ajudaram a impulsionar a queda do Bitcoin. Enfrentávamos uma resistência difícil em torno de $ 7.400“, declarou.

Em geral, especialistas concordam que o declínio da moeda ocorreu pela crescente pressão de vendas e a junção de inúmeros acontecimentos, e não somente pelo adiamento da Goldman Sachs, como muitos afirmam.

Leia mais: Ethereum e Cardano atingem baixas não vistas desde o ano passado

FONTE: COINTELEGRAPH