Esquema Ponzi chinês pode ser culpado pela queda do Bitcoin

PlusToken pode ter vendido milhares de BTC

Em uma postagem em seu blog, a empresa Chainalysis sugere que o esquema de pirâmide chinês PlusToken pode ser o culpado pela queda do preço do Bitcoin. Embora, provavelmente, o PlusToken não seja o principal fator, as movimentações de fundos roubados se correlacionam muito bem com as crises do mercado.

O que é o PlusToken?

O PlusToken era um esquema Ponzi clássico, semelhante ao BitConnect ou a inúmeros outros. Os fundadores prometeram retornos mensais de 9 a 18%, justificados por uma combinação de supostas receitas comerciais e de mineração. Funcionou de maneira semelhante a uma ICO, pois os fraudadores venderam o PlusToken para Bitcoin, Ethereum, EOS e outros. O PlusToken foi capaz de desviar pelo menos US$ 2 bilhões em criptomoeda, tornando-se um dos maiores esquemas Ponzi da história crypto.

No fim de junho, o golpe entrou em colapso quando seus fundadores saíram. Uma das transações de suas carteiras continha uma nota dizendo: “Desculpe, nós fugimos”. No entanto, seis de seus fundadores foram descobertos e extraditados com sucesso de Vanuatu, um país na Oceania, para a China.

Porém, como relatado pela Chainalysis, os fundos roubados continuaram sendo movimentados muito tempo depois da prisão do grupo.

Estratégia pouco eficaz

Embora o PlusToken tenha pagado alguns de seus primeiros colaboradores, a Chainalysis conseguiu provar definitivamente que 45 mil dos 180 mil BTC coletados são controlados pelos fundadores.

O PlusToken utilizou milhares de endereços para disseminar o BTC e tentar torná-lo não rastreável, além de usar truques como alterações de tipo de endereço e CoinJoin. Isso parece ter sido pouco eficaz, pois a Chainalysis rastreou com sucesso os fundos até uma série de operadores de negociação de balcão que atuam na plataforma Huobi. Como eles, geralmente, têm pouco ou nenhum requisito de Know Your Client, são o método preferido para lavar receitas ilegais.

A hipótese da Chainalysis é que essas tentativas de venda eram fortes o suficiente para influenciar o preço do Bitcoin de maneira significativa.

culpado
Fonte: Chainalysis

A empresa correlacionou os fluxos dos fundos PlusToken com o preço do Bitcoin, buscando confirmar sua hipótese. Os gráficos parecem corroborar sua visão, já que cada pico no fluxo de fundos foi seguido por quedas de preços – especialmente a queda de 24 de setembro, de US$ 10 mil para US$ 8 mil.

Descoberta inconclusiva

A Chainalysis reconheceu que suas descobertas não são conclusivas e não necessariamente provam que as vendas induzidas pelo PlusToken fizeram com que o preço caísse. Analisando a volatilidade média na plataforma Huobi, a empresa conseguiu encontrar “uma relação positiva e estatisticamente significativa, embora pequena, entre as transferências do PlusToken para os corretores Huobi OTC e a volatilidade dos preços do Bitcoin, no período de 23 a 28 de setembro”.

No entanto, um aumento na volatilidade pode ter muitas outras explicações. Huobi relata um volume de mais de 100.000 BTC negociados em 25 de setembro – quatro vezes mais que os 25.000 BTC rastreados pela Chainalysis por meio da Huobi.

Mati Greenspan, fundador da QuantumEconomics, comentou as descobertas da empresa:

“Para mim, parece plausível, mas ainda não verificado. Está muito claro que esse não é o único fator, mas pode ter contribuído”, disse Greenspan.

Em um nível lógico, o fato de as negociações do PlusToken terem contribuído para a pressão sobre a venda de Bitcoin é indiscutível. No entanto, a magnitude da pressão é discutível – é bastante improvável que tenha sido diretamente responsável pela desaceleração do mercado na segunda metade do ano. Por outro lado, o desastre do PlusToken pode ter influenciado a China a tomar medidas regulatórias mais duras, em novembro.

* Imagem de Hawksky por Pixabay
Fonte: Crypto Briefing

Foto de Simone Gondim
Foto de Simone Gondim O autor:

Jornalista, revisora e roteirista, apaixonada por tecnologia e especializada em conteúdo.

https://www.instagram.com