Estado americano relata primeira votação Blockchain bem-sucedida

A iniciativa contou com a participação de militares e americanos que vivem no exterior

O estado americano de West Virginia concebeu de forma bem-sucedida a primeira de votação remota utilizando a tecnologia blockchain, aponta o Secretário de Estado Mac Warner.

De acordo com o anúncio oficial realizado por ele, nas eleições deste ano 144 militares posicionados em 24 países puderam votar por meio da plataforma Voatz.

“É um projeto inédito na nação que permitiu que (…) usassem um aplicativo móvel para obter uma cédula garantida pela tecnologia blockchain

A votação na plataforma começou em setembro, época que a “votação ausente” foi aberta no estado.

A plataforma recebeu seu primeiro julgamento em abril, durante as eleições primárias. As cédulas baseadas na tecnologia blockchain foram disponibilizadas a um seleto grupo de eleitores, incluindo cidadãos que vivem no exterior e militares.

A plataforma Voatz foi inicialmente criada para abordar a baixa participação dos militares na votação, visto que o voto não é obrigatório nos EUA.

De acordo com Michael Queen, vice-chefe de gabinete, não há planos para expandir o projeto para além do uso atual.

“Warner nunca vai defender que esta solução seja adotada no voto convencional”

Em paralelo, especialistas expressão preocupação com a segurança do voto móvel.

“É uma ideia horrível. Votar pela internet em dispositivos precariamente seguros, em nossas redes horríveis, para servidores que são difíceis de proteger sem um registro em papel físico da votação”, disse Joseph Lorenzo Hall, Tecnólogo Chefe no Centro para Democracia e Tecnologia.

Entretanto, Bradley Tusk, da Tusk Montgomery Philanthropies, incentivou a prática, afirmando que pode gerar mais eleitores e auxiliar desta forma, no melhor funcionamento da democracia. Tusk auxiliou no financiamento da plataforma Voatz.

FONTE: COINTELEGRAPH

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli