Estrategista da CoinShares: Não sabemos o que é a Libra e nem o que fazer com ela

Meltem Demirors fala sobre as discussões em torno da Libra

Como noticiado anteriormente pelo WeBitcoin, nesta semana as autoridades americanas participaram de audiências no Senado com David Marcus, responsável pelo Projeto Libra, para discutir sobre as preocupações em torno do novo ativo.

stablecoin, que recebe críticas desde o lançamento de seu white paper, atraiu muita atenção negativa das autoridades mundiais, que apertaram o cerco em torno do Facebook em relação a questões de privacidade e possíveis casos de lavagem de dinheiro.

Presente na audiência, a Estrategista-chefe (CSO) da CoinShares, Meltem Demirors, declarou abertamente que apesar de estar sendo anunciada desta forma, a Libra não é uma criptomoeda, mas sim uma imitação que “emprestou” algumas características.

“Os reguladores estão tentando entender o que é a Libra. Ninguém realmente entende. A Libra gostaria de ser uma criptomoeda, que é como o Facebook está vendendo a ideia, mas os fatos são que a Libra possui ativos que incluem dólares americanos e títulos do governo, e está armazenando fundos do público. Então eu acredito que o primeiro passo de hoje foi entender o que é isso (…) e o que iremos fazer com a Libra.”, disse Demirors à CNBC.

De acordo com ela, a grande preocupação dos participantes da audiência foi o fato do grande impacto causado pelo Facebook, que pode resultar em significativas mudanças na economia digital assim que a moeda for lançada. Meltem destacou ainda que, diferente do ativo da Libra, o Bitcoin é uma rede pública aberta que viabiliza inovação e crescimento.

Falando sobre o cenário regulatório, a estrategista afirmou que a audiência com certeza alertou as autoridades americanas sobre a necessidade de se manter na competição, visto que os Estados Unidos não tem sido muito amigável com as criptomoedas, sendo considerado atrasado em relação a outras potências mundiais.

“É muito cedo para dizer se uma nova regulamentação será aplicada. Eu acredito que presenciaremos a criação de um comitê para lidar com a situação das criptomoedas e possivelmente um comitê separado (…) para focar na situação da Libra, que é distinta e separada. Eu acredito que para os reguladores, a competitividade americana é a prioridade (…), e há uma razão pela qual a Associação Libra escolheu ir para a Suíça: clareza regulamentar e a simplificação de processos em termos de realizar algo inovador.”

Anteriormente o WeBitcoin noticiou que durante uma sessão com o Comitê de Serviços Financeiros, o democrata Brad Sherman declarou que a stablecoin será tão prejudicial para os Estados Unidos quanto o ataque às Torres Gêmeas.

Com uma aversão declarada às criptomoedas, em maio Sherman “convidou” os membros da Câmara dos Representantes para aprovar uma nova lei que pretende proibir a compra, detenção e uso de criptomoedas por americanos, para que o setor não interfira no poder que o país exerce por meio do dólar.

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli