Facebook afirma que não irá notificar os usuários afetados pelo vazamento de 533 milhões de registros

Para ser claro: o banco de dados que contém as informações pessoais de meio bilhão de usuários do Facebook não é apenas um tesouro para telemarketing e spammers por telefone. Informações como datas de nascimento, estado civil, cidades natais e outros lugares onde viveu são o pão com manteiga de um engenheiro social. Independentemente de os dados já estarem disponíveis publicamente, tê-los listados em um banco de dados conveniente e divulgados ao público não é pouca coisa.

No início desta semana, um pesquisador de segurança descobriu que o Facebook vazou os dados de 533 milhões de usuários. As informações pessoais na violação incluíram números de telefone, IDs do Facebook, nomes completos, cidades natais, lugares onde morou, datas de nascimento, endereços de e-mail, status de relacionamento e muito mais. Portanto, este não foi apenas um pequeno vazamento que pode ser varrido para debaixo do tapete.

Apesar da gravidade da violação, o Facebook disse à Reuters que não tem planos de informar os usuários afetados. O porta-voz argumenta que a empresa não está “confiante” de poder identificar quais usuários foram afetados e que “os dados [já] estavam disponíveis publicamente”. Além disso, o porta-voz disse que os dados foram “coletados” antes de setembro de 2019, usando uma vulnerabilidade de sincronização de contatos que já havia sido corrigida há muito tempo. É importante notar que ele também não notificou os usuários no momento dessa preocupação com a segurança.

Como Ryan Mac do BuzzFeed apontou em um tweet (acima), o Facebook disse que a coleta de dados em 2019 vai contra seus termos de serviço, mas não fez nada sobre a Clearview AI coletar milhões de fotos do Facebook e Instagram. Além de “exigir” que a empresa de reconhecimento facial pare de extrair seus dados, o Facebook não buscou uma ação mais agressiva para impedi-la. Mac afirma que isso ocorre porque o membro do conselho do Facebook, Peter Thiel, é um investidor da Clearview.

Apesar de tudo isso, existem maneiras de verificar se seus dados estiveram envolvidos na violação sem a ajuda do Facebook. O banco de dados está disponível publicamente por meio de sites de torrent, e vários sites na internet podem realizar pesquisas para ver se seus dados vazaram. No entanto, tenha cuidado com sites que solicitam informações pessoais para realizar uma pesquisa.

A notícia da informação roubada, e a falta de preocupação do Facebook com ela, não deve ser uma surpresa. A empresa tem um longo histórico de uso indevido e abuso de dados. Ironicamente, 2019 – o ano em que o Facebook afirma ter corrigido a vulnerabilidade – foi o mesmo ano em que prometeu um futuro “focado na privacidade”. Dadas as circunstâncias, é preciso questionar se isso significava privacidade do usuário ou privacidade corporativa.

Fonte: Techspot

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.