Facebook pode perder apoio dos bancos por causa da Libra

CEO da potência financeira ING alega problemas com regulamentação

Nas últimas semanas, vários membros da Associação Libra deixaram o Facebook a ver navios. Agora, parece que o gigante da mídia social também pode perder o apoio dos bancos.

Ralph Hamers, CEO do Grupo ING, multinacional holandesa de serviços bancários e financeiros, disse ao Financial Times que os bancos talvez precisem se separar do Facebook se a empresa não conseguir lidar com temores regulatórios associados à Libra. Especificamente, Hamers apontou como problemáticos o potencial da criptomoeda para facilitar a lavagem de dinheiro e outros crimes de colarinho branco.

O CEO do ING sugeriu ainda que os bancos têm a responsabilidade de fechar as portas para grupos maliciosos ou suspeitos, independentemente de seu tamanho e escopo, e que uma empresa como o Facebook provavelmente enfrentará dificuldades para avançar no campo monetário se suas “atividades forem abrindo (o sistema) para crimes financeiros”.

Em comunicado, um porta-voz do Facebook respondeu dizendo que a empresa está “comprometida a investir tempo para acertar (a Libra)”. O objetivo do Facebook é garantir que “essa infraestrutura financeira global seja regulada de maneira a refletir as pessoas às quais ela serve”.

Desertores da Libra

O problema é que a maioria dos órgãos reguladores do mundo parece não estar comprando a ideia. E a Associação Libra sofreu por causa disso.

Originalmente, a Associação Libra começou com uma notável lista de 27 membros, muitos dos quais eram colegas no Vale do Silício. Recentemente,  no entanto, seis dessas empresas se separaram da Libra, incluindo PayPal, Visa e Mastercard. Algumas teriam recebido cartas de integrantes do Congresso dos Estados Unidos, alertando sobre os riscos potenciais que poderiam resultar do envolvimento com o Facebook.

Hamers, no entanto, tinha algumas coisas bacanas a dizer sobre Libra, chamando-a de “uma boa iniciativa para aprender”. Ele disse que a equipe do ING examinará a evolução da Libra e tomará uma decisão a partir daí, embora outros bancos pareçam muito menos abertos à ideia.

* Imagem de athree23 por Pixabay
Fonte: Decrypt

Foto de Simone Gondim
Foto de Simone Gondim O autor:

Jornalista, revisora e roteirista, apaixonada por tecnologia e especializada em conteúdo.

https://www.instagram.com