Facebook vai combater a desinformação sobre a COVID-19 mais diretamente com notificações aos usuários

Os usuários do Facebook que curtirem, compartilharem ou comentarem a postagem removida com informações incorretas sobre a COVID-19 receberão notificações

O Facebook enviará notificações diretamente aos usuários que deem gostei, compartilhem ou comentarem as postagens acerca da COVID-19 que violam os termos de serviço da empresa, de acordo com um relatório da Fast Company.

Esse novo recurso funciona assim: se um usuário interagir com uma postagem que é removida posteriormente, o Facebook envia uma notificação ao usuário informando que a postagem foi removida. Se o usuário clicar na notificação, ele será levado a uma página de destino com uma captura de tela da postagem e uma breve explicação do motivo da remoção. A página de destino também terá links para recursos e ações educacionais da COVID-19, como deixar de seguir o grupo que a postou.

Screen Shot 2020 12 15 at 3.16.44 PM

Notificações anti-desinformação atualizadas do Facebook. Imagem: Facebook, Fast Company

 

Esta é uma expansão das tentativas anteriores do Facebook de combater a desinformação. Antes disso, a empresa exibia um banner no feed de notícias, instando os usuários que se envolveram com o conteúdo removido a “Ajudar amigos e familiares a evitar informações falsas sobre a Covid-19”.

Mas os usuários muitas vezes ficavam confusos com o que o banner se referia, disse um gerente de produto do Facebook à Fast Company. A esperança é que a nova abordagem seja mais direta do que o banner, ao mesmo tempo em que evita repreender os usuários ou expô-los novamente à desinformação.

Facebook anti-misinformation box for the novel coronavirus

Banner anterior anti-desinformação do Facebook. Imagem: Facebook

 

A abordagem modificada do Facebook está chegando quase um ano após o início da pandemia – um pouco tarde. As notificações não desmascaram reivindicações em postagens removidas. Eles também não se aplicam a postagens que posteriormente tenham rótulos de verificação de fatos colocados nelas, escreve a Fast Company. Isso significa que informações incorretas menos perigosas ainda têm a oportunidade de se espalhar.

O Facebook tem demorado a agir com base em informações incorretas que a empresa não considera perigosas. Embora as teorias de conspiração sobre as vacinascda COVID-19 tenham se espalhado por meses, o Facebook só começou a remover a desinformação da vacina da COVID-19 em dezembro. A questão agora é: isso é muito pouco e muito tarde? Parece que sim.

Fonte: The Verge

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.