FBI pagará US$ 100.000 de recompensa pela “Cryptoqueen”

Cryptoqueen

FBI procura uma das maiores fraudadoras de criptomoedas, sendo classificada entre os 10 mais procurados nos EUA

Ela é conhecida como a “Cryptoqueen” porque conseguiu bilhões de dólares usando uma criptomoeda que não tinha valor real antes de desaparecer.

O Federal Bureau of Investigation (FBI) agora a colocou em sua lista dos 10 criminosos mais procurados.

Ruja Ignatova, está foragida desde 2017, é suspeita de orquestrar um grande golpe Ponzi empregando OneCoin, uma criptomoeda.

O FBI afirma que a Cryptoqueen enganou milhares de investidores e conseguiu capitar mais de US$ 4 bilhões por meio da OneCoin, uma startup de criptomoedas que ela cofundou em 2014.

FBI oferece US$ 100.000 pela prisão da Cryptoqueen

Além de colocar Cryptoqueen, de 42 anos, em sua lista dos mais procurados, o FBI está oferecendo uma recompensa de US$ 100.000 por informações que levem à sua captura.

A empresa de fachada Onecoin, que a Ignatova e seu parceiro de negócios alegaram que a criptomoedas deles era a “Bitcoin Killer”, apesar de não haver blockchain e nenhum ativo cripto real atrelado a ele.

De acordo com o FBI, Ignatova aproveitou o bom em torno das criptomoedas para atrair pessoas desavisadas que não compreendiam completamente como as criptomoedas funcionavam.

Os promotores federais afirmam que o OneCoin era um golpe Ponzi disfarçado de ativo digital.

Damian Williams, procurador federal sênior de Manhattan, foi citado pela BBC dizendo que a Cryptoqueen cronometrou com precisão sua operação para capitalizar a “especulação frenética dos primeiros dias das criptomoedas”.

A Cryptoqueen e sua moeda digital falsa

Ignatova, uma advogada búlgara, é acusada de fazer declarações e representações fraudulentas a investidores, orientando-os a pagar transferências eletrônicas para a OneCoin para adquirir os programas de educação do token.

Em março de 2019, o procurador dos EUA de Manhattan, Geoffrey S. Berman, acusou os líderes da OneCoin do seguinte:

Eles prometeram grandes retornos e risco mínimo, mas, como alegado, esse negócio era um esquema de pirâmide… Os investidores foram vitimados enquanto os réus ficaram ricos.

“Ela tem muito dinheiro e caiu na estrada bem rápido”, disse o diretor assistente do FBI, Michael Driscoll, segundo a ABC News, durante uma entrevista coletiva na quinta-feira.

Estilo de vida luxuoso e guarda-costas armados

Em novembro do ano passado, um julgamento contra o advogado alemão de Ignatova, Martin Breidenbach, revelou que a Cryptoqueen supostamente mantinha uma vida luxuosa e comprou uma cobertura de US$ 18 milhões em Londres antes de desaparecer.

A Agência da União Europeia para a Cooperação Policial, Europol, colocou-a na lista dos mais procurados da Europa em meados de maio deste ano.

Foto de Washington Leite
Foto de Washington Leite O autor:

Formado em Administração de Empresas, sou entusiasta da tecnologia e fascinado pelo mundo das criptomoedas, me aventuro no mundo do trade, sendo um eterno aluno. Bitcoin: The money of the future

WashingtonLeite_