Fim da linha: Bitcoin Banco pede recuperação judicial

Petição foi registrada no Tribunal de Justiça do Paraná em 4 de novembro

A crise envolvendo o Bitcoin Banco ganhou mais um capítulo esta semana: o advogado Edson Insfer entrou com pedido de recuperação judicial da Bitcurrency Moedas Digitais, conhecida como Bitcoin Banco, e outras sete empresas também ligadas a Cláudio Oliveira.

Para os advogados que já haviam pedido a falência do grupo, a recuperação judicial do Bitcoin Banco acende o alerta vermelho: caso seja aceita pela Justiça, a petição poderá fazer com que as dívidas sejam congeladas, reorganizadas e parceladas. Sendo assim, os credores temem não ver a cor do dinheiro tão cedo.

Com a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) em seus calcanhares, o Grupo Bitcoin Banco (GBB) está proibido de manter sua oferta de investimentos – as exchanges do grupo não podem receber depósitos de Bitcoins. Além disso, o GBB acumula mais de 300 processos na Justiça, com boa parte dos autores das ações duvidando que a empresa venha a se recuperar algum dia.

Vazamento de informações

Após o anúncio do pedido de recuperação judicial, vazou uma lista com nomes e endereços de clientes do GBB, bem como os valores devidos a cada um. O arquivo, que teria sido anexado à petição registrada no Tribunal de Justiça do Paraná, mostra o tamanho do rombo. Caso os cálculos que aparecem no documento estejam certos, o total da dívida chega a R$ 617 milhões.

* Imagem de Dimitris Vetsikas por Pixabay

Foto de Simone Gondim
Foto de Simone Gondim O autor:

Jornalista, revisora e roteirista, apaixonada por tecnologia e especializada em conteúdo.

https://www.instagram.com