FMI alerta em relatório que a Rússia poderá evitar sanções se minerar Bitcoin

FMI

FMI emite um relatório alertando que a Rússia tem recursos energéticos significativos para investir na mineração de criptomoedas

O Fundo Monetário Internacional (FMI) disse que a Rússia poderia evitar sanções econômicas impostas após sua invasão da Ucrânia, iniciando mineração de criptomoedas.

O relatório adverte especificamente que a Rússia pode usar seus vastos recursos energéticos para impulsionar a mineração de criptomoedas e gerar receita.

De acordo com o FMI:

Com o tempo, os países sancionados também poderiam alocar mais recursos para evitar sanções por meio da mineração. A mineração em Blockchains de uso intensivo de energia, como o Bitcoin, pode permitir que os países monetizem recursos energéticos, alguns dos quais não podem ser exportados devido a sanções.

A organização internacional acrescentou uma ressalva a esse alerta, dizendo que a participação da mineração em países sob sanções, bem como o tamanho geral da receita de mineração globalmente, “sugere que a magnitude de tais fluxos é relativamente contida, embora os riscos à integridade financeira permaneçam”.

O presidente Vladimir Putin disse anteriormente que a Rússia tem uma “vantagem competitiva” quando se trata de mineração de Bitcoin. De acordo com a Universidade de Cambridge, a Rússia é uma das principais jurisdições do mundo quando se trata de mineração de Bitcoin, ocupando o terceiro lugar em um estudo publicado no ano passado.

Após a invasão da Ucrânia, surgiram preocupações sobre o potencial da Rússia de evitar sanções por meio de criptomoedas.

É importante notar que, embora seja improvável que as criptomoedas possam permitir que a Rússia, como estado-nação, enfraqueça totalmente a força das sanções internacionais, entidades sancionadas específicas podem recorrer a criptomoedas para fornecer receita.

Além da mineração, outros métodos poderiam, e foram, usados ​​no passado. Um exemplo é o ransomware, uma indústria que encheu os bolsos de atores afiliados à Rússia mais do que qualquer outro grupo no ano passado.

Crane Hassold, ex-agente do FBI e atual diretor de inteligência de ameaças da empresa de segurança em nuvem Abnormal Security, disse anteriormente que as criptomoedas eram o “fator primário” que impulsionava a indústria de ransomware de hoje.

Outro método é o simples uso de exchanges de criptomoedas que não cumprem as sanções. Em setembro passado, a exchange de criptomoedas SUEX foi sancionada pelo Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros do Tesouro dos EUA como uma entidade responsável ou uma entidade cúmplice de atividades relacionadas à cibernética contra os interesses americanos.

Foto de Washington Leite
Foto de Washington Leite O autor:

Formado em Administração de Empresas, sou entusiasta da tecnologia e fascinado pelo mundo das criptomoedas, me aventuro no mundo do trade, sendo um eterno aluno. Bitcoin: The money of the future

WashingtonLeite_