Forbes diz que Bitcoin pode remediar a desigualdade financeira

Bitcoin

O Bitcoin pode ser a solução para uma saída da inflação mundial e aumentar a renda populacional

O Bitcoin (BTC) tem potencial para resolver o problema da desigualdade de renda mundial, pois pode se comportar como commodity e ativo ao mesmo tempo, e ter seu preço definido pela demanda do mercado, segundo análise da Forbes.

Hoje, investir em ativos tangíveis é o método mais preferido para fornecer um hedge de inflação, pois são os únicos tipos de ativos que aumentam a uma taxa semelhante à inflação. Embora pareça que pode resolver o problema do hedge de inflação, ele divide ainda mais a diferença de renda.

O artigo afirma:

O aumento significativo no preço dos ativos tangíveis revela uma questão mais ampla com as economias globais. Ou seja, polarização na economia. Isso se refere ao problema da desigualdade em que o 1% possui a maioria dos ativos tangíveis que os 99% devem continuar a pagar.

A pandemia desempenhou um papel significativo na polarização do mercado de ativos tangíveis. Iniciações como campanhas de hipotecas lastreadas em títulos emitidas por instituições financeiras criaram um fluxo de caixa. No entanto, devido às condições da pandemia, as instituições financeiras não conseguiram aplicar esses recursos. É por isso que eles confiaram em ativos tangíveis, que polarizaram o mercado.

Mesmo que os efeitos da pandemia desapareçam, a polarização está longe de ser curada. Eventos atuais como o conflito russo-ucraniano continuam a aumentar os preços de alimentos, gasolina e frete em todo o mundo. O resultado é o aumento contínuo da inflação e o aprofundamento da polarização do mercado de ativos tangíveis.

Como o Bitcoin pode solucionar isso?

O artigo argumenta que a economia mundial não vai se curar sozinha. E afirma:

Se a situação piorar, os governos serão forçados a imprimir mais dinheiro na forma de renda básica universal (UBI). Esse novo dinheiro pode ser distribuído usando uma lógica de baixo para cima para garantir que a família média possa pagar o básico, como alimentação, moradia e saúde. O 1% rico ficará mais rico, enquanto os 99% pobres ficarão mais pobres.

Preços e cobertura

Bitcoin é uma commodity e um ativo ao mesmo tempo. Além disso, seu preço é determinado pela demanda do mercado. A oferta de Bitcoin diminuirá por seu código e, à medida que as empresas continuarem investindo nele, a demanda e o preço só aumentarão no futuro. É muito provável que este aumento ultrapasse as taxas de inflação. Portanto, o Bitcoin funciona melhor quando se trata de armazenar valor e fornecer um hedge de inflação ao mesmo tempo.

Propriedade

Outra vantagem do Bitcoin é que ele dá total propriedade ao titular. Em outras palavras, ele não pode ser confiscado ou manipulado como ativos tangíveis, como imóveis, energia ou terras.

Isso proporciona benefícios excepcionais em desafios políticos ou econômicos. As criptomoedas vêm em socorro em caso de guerra, como na Rússia, ou taxas de inflação excepcionalmente altas, como na Turquia.

O Bitcoin resgatará a economia mundial?

Embora seja absolutamente claro que a solução está no Bitcoin, o artigo também observa que não está totalmente pronto para ação.

Apesar dos argumentos sugerindo que o Bitcoin está se desvinculando do mercado tradicional, o artigo diz que ainda está altamente correlacionado aos movimentos do mercado tradicional.

O Bitcoin continuará sendo uma moeda transacional até que se separe adequadamente do mercado tradicional e comece a se comportar individualmente. Quando isso acontecer, também se transformará em uma reserva de valor adequada, o que dará ao Bitcoin o poder de salvar a economia mundial.

Foto de Washington Leite
Foto de Washington Leite O autor:

Formado em Administração de Empresas, sou entusiasta da tecnologia e fascinado pelo mundo das criptomoedas, me aventuro no mundo do trade, sendo um eterno aluno. Bitcoin: The money of the future

WashingtonLeite_