Fundo da Unicef e ETC Labs, uma parceria de um milhão de dólares

Incubadora do Ethereum Classic vai investir em três startups

A incubadora Ethereum Classic (ETC) Labs, um braço de pesquisa e desenvolvimento do Ethereum Classic, doou US$ 1 milhão ao Unicef Innovation Fund, ligado às Nações Unidas. A ETC Labs investirá no fundo de inovação, fornecendo dinheiro, recursos técnicos e consultoria para três startups de blockchain nas quais o Unicef apostou.

“Nosso objetivo é promover a criação de bens públicos digitais em todo o ecossistema blockchain, com soluções que apontam para desafios globais urgentes e mudam vidas”, explica Cecilia Chapiro, consultora de investimentos e gerente de portfólio de blockchain do Unicef Ventures.

O primeiro projeto a receber investimento da ETC Labs é a OS City, uma startup latino-americana voltada para GovTech, área que une tecnologia e demandas governamentais. A OS City cria sistemas blockchain e inteligência artificial para ajudar os governos a alocar recursos.

A segunda a ser beneficiada pelo fundo é a Prescrypto, uma empresa mexicana que trabalha no uso de blockchain para verificar a autenticidade da identidade de um paciente antes que alguém possa acessar os dados médicos da pessoa. O problema, aos olhos da Prescrypto, é que os registros são mantidos em servidores privados centralizados, opacos e vulneráveis ​​a ataques.

A terceira é a W3 Engineers, uma empresa de Bangladesh que desenvolveu um aplicativo de “mensagens via malha”, o Telemesh. O serviço de mensagens usa a blockchain Ethereum para transmitir informações em locais sem conexão com a internet ou sinal de telefone.

Interesse em blockchain

O investimento baseia-se em outros flertes do Unicef com as criptomoedas. Em outubro de 2019, o Fundo das Nações Unidas para a Infância anunciou que aceitaria doações em Ethereum e Bitcoin. Algumas das primeiras contribuições foram da Ethereum Foundation.

As Nações Unidas também usam blockchain nos campos de refugiados da Jordânia, onde as carteiras distribuem comida e utensílios domésticos para os refugiados.

No fim de dezembro, o secretário-geral da ONU, António Guterres, reafirmou o compromisso das Nações Unidas com o blockchain, em uma declaração dada à revista Forbes.

“Para que, em nosso mandato, as Nações Unidas entreguem o melhor na era digital, precisamos adotar tecnologias como o blockchain, que possam ajudar a acelerar a conquista dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, disse Guterres.

E António Guterres não é o único a pensar assim. Países do mundo todo estão aumentando o uso da tecnologia blockchain, da China a Dubai.

* Imagem de S K por Pixabay
Fonte: Decrypt

Foto de Simone Gondim
Foto de Simone Gondim O autor:

Jornalista, revisora e roteirista, apaixonada por tecnologia e especializada em conteúdo.

https://www.instagram.com