Gibraltar United será o primeiro time de futebol a pagar seus jogadores com criptomoedas

Gibraltar United, um time de futebol da Premium Division, tornar-se-á o primeiro time de futebol do mundo a pagar seus jogadores com criptomoedas a partir da próxima temporada, segundo o The Guardian. O dono do time, Pablo Dana, que investiu em Quantocoin, uma plataforma desenvolvida para fornecer criptomoedas para usos diários, iniciou parcerias para patrocínio, um dos muitos casos nos quais times e jogadores de futebol encontram utilidade em criptomoedas.

O setor financeiro de Gibraltar abraçou a tecnologia blockchain e está buscando sua ampla adoção. Em janeiro, o governo introduziu regulamentações para negócios utilizando a referida tecnologia. O governo também planeja introduzir uma estrutura regulatória para ICOs.

Leia mais: Projeto secreto da Tron foi revelado: conheça o Atlas

Transparência necessária no futebol

Enquanto Gibraltar é uma nação que busca dar legitimidade às criptomoedas, Dana afirmou que o Gibraltar United deseja trazer mais transparência ao futebol, acreditando que a tecnologia reduzirá a corrupção que se apoderou do esporte.

Criptomoedas também fornecem meios de pagamento para jogadores estrangeiros, que sofrem dificuldades ao tentarem criar contas bancárias em Gibraltar, além de evitar taxas e tarifas.

Gibraltar foi a primeira jurisdição a regulamentar empresas de aposta há 20 anos, afirmou Dana. O governo estabeleceu regulamentações anti-lavagem de dinheiro. Apostas, por sua vez, estabeleceram-se no futebol, gerando milhões de libras em anúncios. Companhias de apostas são os maiores patrocinadores dos times da Nine Premier League.

Times de futebol abraçam as criptos

Outros times de futebol abraçaram as criptomoedas e a tecnologia blockchain.

O Arsenal, time londrino, firmou em janeiro uma parceria com a CashBet, uma criptomoeda.

Danny Stroud, chefe de parcerias da London Football Exchange, afirmou que o órgão está interessado em ter uma comunidade futebolística baseada em tokens, permitindo que os clubes interajam diretamente com seus fãs sem fricção.

O órgão também já fez os preparativos para introduzir criptomoedas ao Bari, um clube italiano, e ao Alcobendas, um clube de Madrid. Os acordos reduzirão os valores dos produtos e ingressos, dando aos fãs uma chance de comprarem participações nos clubes.

Leia mais: Analistas afirmam: criptomoeda chinesa pode ser maior do que o Bitcoin

Jogadores apoiam cripto plataformas

Jogadores que formaram parcerias com criptomoedas incluem Roberto Carlos, Luis Figo, Michael Owen e Lionel Messi.

Harunustaspor, um clube amador da Turquia, assinou o contrato do jogador Omer Faruk Kiroglu com pagamento parcialmente em criptomoedas.

Didier Drogba, da Costa do Marfim, recentemente se tornou o embaixador oficial da All.me, uma criptomoeda baseada em rede social, tendo até mesmo utilizado uma camisa com a logo da All.me para mostrar seu apoio.

Luis Suarez, jogador uruguaio, promoveu no ano passado a Stox, uma plataforma baseada em blockchain para previsões, em seu perfil do Instagram.

Na semana passada, Ronaldinho Gaúcho anunciou seu projeto chamado Ronaldinho Soccer Coin, que planeja se tornar uma plataforma para apostas, estádios digitais e e-commerce.

Leia mais: Kim Kardashian aposta com Bitcoin em noite de poker visando angariar fundos para a caridade

Fonte: CCN