GlobalCoin: Facebook planeja lançar sua criptomoeda no início do próximo ano

Mídia revela data aproximada para o lançamento da criptomoeda do facebook

Ao longo dos últimos meses, muito foi comentado sobre a nova criptomoeda sendo desenvolvida pelo Facebook, a GlobalCoin (apelidada de FB Coin). De acordo com analistas, a moeda poderia trazer uma nova perspectiva sobre o mercado, atraindo ainda mais investidores.

Recentemente um estudo realizado nos Estados Unidos revelou que mesmo os americanos que não possuem muita aproximação com produtos financeiros digitais estão ansiosos pelo lançamento do ativo.

Para fomentar o mercado com novas informações sobre o caso, a BBC News informou nesta sexta-feira (24) que a empresa pretende lançar a criptomoeda em pelo menos uma dúzia de países no primeiro trimestre de 2020.

Aparentemente o Facebook pretende realizar testes com o ativo até o final do ano.

Também foi relatado que o CEO da empresa, Mark Zuckerberg, se encontrou com o governador do banco da Inglaterra para discutir os ricos e oportunidades do lançamento de uma moeda digital. Zuckerberg supostamente também buscou auxílio das autoridades do Tesouro americano sobre questões operacionais e regulatórias.

Aparentemente o Facebook também mantém contato com empresas especializadas em transferência de dinheiro, como a Western Union, em busca de formas mais baratas e rápidas para que mesmo pessoas sem uma conta bancária enviem e recebam dinheiro.

Os objetivos por trás da moeda

Como já foi relatado, a nova criptomoeda está sendo desenvolvida para promover formas seguras e acessíveis de efetuar pagamentos.

Com o novo ativo, o Facebook pretende se sobressair sobre as redes existentes, romper barreiras financeiras e competir com os grandes bancos, reduzindo os custos do consumidor. Também foi noticiado que a criptomoeda pretende obter sucesso “onde o Bitcoin falhou“.

De acordo com um relato publicado anteriormente pelo The New York Times, o ativo será integrado para pagamentos em serviços de mensagens. A mídia cita ainda que o Facebook planeja integrar seus apps de propriedade total (Whatsapp, Instagram e Messenger) sob um único dossel, o que possibilitaria a exposição do token aos bilhões de usuários que utilizam os serviços.

Também foi apontado que a criptomoeda provavelmente será uma stablecoin atrelada ao valor de três moedas fiat distintas, ao invés de apenas uma.

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli