Goldman Sachs: “Bitcoin não é uma classe de ativos”

Durante conferência digital, Goldman Sachs, diz que o Bitcoin não é classe de ativos investíveis (embora eles digam erroneamente só “classe de ativos”).

Para o Grupo de Estratégia de Investimento do Goldman Sachs criptomoedas, como Bitcoin, “não são uma classe de ativos”.

Como Scott Melker, um trader cripto da Texas West Capital, apontou, o Goldman Sachs, realizou hoje, 27 de maio, uma conferência digital com diversos clientes do banco.

O título da conferência foi: “Perspectivas Econômicas dos EUA e Implicações das Políticas Atuais de Inflação, Ouro e Bitcoin.”

Esta conferência digital foi realizada por Sharmin Mossavar-Rahmani, que é diretor de investimentos do Grupo de Estratégia de Investimentos (ISG).

Notas vazadas da conferência

Cerca de uma hora antes do início da conferência, Melker forneceu o seu parecer das notas da reunião que foram vazadas:

“As notas da reunião da Goldman vazaram. A essência é essa.

 

Fed = brilhante
Dólar = perfeito
Inflação = não se preocupe
Depressão = a economia chegou ao fundo, sem depressão
Ouro = ruim
$ BTC = ruim e para criminosos

 

Previsível. Tomando a mesma linha do governo.”

Então, cerca de 20 minutos antes do início da conferência, o analista/investidor de criptomoedas Tuur Demeester, editor-chefe da Adamant Research, enviou um tweet que incluía o slide das notas vazadas:

https://twitter.com/TuurDemeester/status/1265645978683691011?s=20

“Esse slide da chamada de investidores da Goldman hoje exemplifica a filosofia focada em renda e expansão que beneficiou tanto Wall Street desde 1913. Quando a economia é irreparavelmente superalavancada, torna-se importante olhar para os ativos de uma perspectiva de preservação de riqueza.”

Tradução da nota:

Criptomoedas, incluindo bitcoin, não são uma classe de ativos

 

Não geram dinheiro como títulos

Não geram nenhum lucro através da exposição ao crescimento econômico global

Não fornecem benefícios consistentes de diversificação, devido às suas correlações instáveis

Não atenuam a volatilidade, dada a volatilidade histórica de 76%
– em 12 de março de 2020, o preço do bitcoin caiu 37% em um dia

 

Acreditamos que um valor mobiliário cuja apreciação depende principalmente de alguém estar disposto a pagar um preço mais alto por ele não é um investimento adequado para nossos clientes.

 

também acreditamos que, embora os fundos de hedge possam ter criptomoedas, evidenciando sua alta volatilidade, esse fascínio não constitui uma lógica viável de investimento.

Como você pode ver, as razões para o Goldman Sachs não considerar o Bitcoin (e criptomoedas em geral) uma classe de ativos investíveis (embora eles digam erroneamente “classe de ativos”) são uma versão expandida das mencionadas no passado por haters de Bitcoin como Warren Buffett, Dr. Nouriel Roubini e Peter Schiff.

O Goldman Sachs conclui que o Bitcoin “não é um investimento adequado” para seus clientes, pois sua valorização depende da “The Greater Fool Theory“. Além disso, o Goldman Sachs diz que, embora os fundos de hedge (como os gerenciados por Paul Tudor Jones II) possam achar o Bitcoin atraente devido à sua alta volatilidade de preços, esse “fascínio” não “constitui uma lógica de investimento viável”.

Fonte: cryptoglobe

Foto de Bruno Lugarini
Foto de Bruno Lugarini O autor:

Estudante de Sistema da Informação, técnico de informática, apaixonado por tecnologia, entusiasta das criptomoedas e Nerd.