Google exclui aplicativo indiano que removia apps chineses dos smartphones

Uma startup indiana chamada OneTouch AppLabs ganhou destaque recentemente por seu aplicativo Android “Remove China Apps”

O aplicativo viral do OneTouch AppLabs (Remove China Apps) tinha uma reputação de acerto ou erro ao detectar aplicativos chineses em dispositivos, mas logo recebeu mais de 5 milhões de downloads na Play Store na Índia, tornando-se um dos aplicativos mais populares do país.

O aumento da popularidade logo chamou a atenção do Google, que agora o retirou do mercado. A empresa confirmou ao Gadgets 360 que suspendeu o aplicativo por violar a Política de comportamento enganoso da Play Store, que proíbe aplicativos que encorajem, enganam ou incentivam os usuários a remover ou desativar aplicativos de terceiros.

O desenvolvedor do aplicativo alegou que fabricou o software “apenas para fins educacionais para identificar o país de origem de um determinado aplicativo” e que “não promove ou força as pessoas a desinstalar nenhum aplicativo”. A posição do Google sobre o assunto agora está clara.

O sentimento anti-chinês cresceu recentemente na Índia devido às tensões internacionais no Himalaia, levando algumas celebridades locais a pedirem a remoção de aplicativos afiliados à China. Este último também ameaçou responder com “punição por Pequim” se a Índia continuar pressionando as relações bilaterais com seu “sentimento irracional anti-China”.

Embora a eficácia desses aplicativos seja difícil de determinar, eles podem se tornar uma ferramenta para transmitir uma mensagem maior. E embora esse aplicativo possa ter causado muitas exclusões na Índia, quase todas elas ocorreram em telefones fabricados na China.

O pais, por sinal, ocupa uma posição dominante no mercado de smartphones da Índia e atualmente possui 4 fornecedores entre os 5 primeiros (Xiaomi no 1) em termos de participação de mercado, de acordo com a empresa de análise de dados Counterpoint.

Fonte: TechSpot

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader desde 2017. Aficionado por tecnologia e entusiasta das criptomoedas, viu no WeBitcoin a oportunidade de unir duas paixões.