Google Trends: Bitcoin liderou as buscas no mercado cripto em 2019 (mas a Libra não ficou longe)

Dados do Google Trends revelam as tendências de busca envolvendo Bitcoin e principais criptomoedas

Antes de qualquer coisa relacionada ao Bitcoin e às criptomoedas, precisamos entender o que é o Google Trends. Por definição, é uma ferramenta do Google que mostra os mais populares termos buscados em um passado recente.

A ferramenta apresenta gráficos com a frequência em que um termo particular é procurado em várias regiões do mundo, e em vários idiomas. Uma parte dos dados utilizados abaixo são de autoria do BTC EG.

Comparando as buscas em 2019

google trends bitcoin

 

O gráfico acima mostra três pontos importantes: a variação das buscas ao longo dos meses, os 8 principais termos buscados que estão relacionados a criptomoedas e à tecnologia Blockchain, e por último, a média de buscas do ano correspondente a cada um dos 8 termos mencionados.

De cara, o que mais chama atenção no gráfico obviamente é a dominância do Bitcoin. Três momentos ganham destaque com enorme expansão nas buscas pelo ativo: o início da recuperação do Bitcoin, em abril, partindo dos US$ 4.000. A alta de maio, quando o BTC saltou de US$ 5.000 para US$ 8.000, e a alta da última semana de junho, quando o Bitcoin foi rapidamente de US$ 9.000 para quase US$ 14.000.

Temos picos elevados e de rápida subida, o que demonstra poder de influência: quando realizando grandes movimentos de alta, o Bitcoin chama enorme atenção das pessoas. O mesmo não foi visto durante as quedas, principalmente no segundo semestre.

Mesmo com a queda abaixo dos US$ 6.500 em novembro, não houve uma alteração significativa no gráfico mostrando aumento ou diminuição das buscas.

O segundo destaque da análise fica por conta da Libra, mantendo-se muito buscada durante todo o ano de 2019. Mais do que isso: se juntarmos todas as buscas envolvendo “blockchain” e “ethereum” nos últimos 12 meses, não teremos o total de buscas da Libra.

Cercada e polêmicas e incertezas, ainda não é certo se a criptomoeda do Facebook realmente será lançada. O fato é que a Libra passou boa parte do ano no encalço do BTC, chamando grande atenção da mídia e dos usuários.

Por último, o destaque negativo fica para as altcoins de modo geral. Excluindo a Libra, apenas 3 tiveram buscas relevantes para “rivalizar” com o Bitcoin. As aspas aqui ficam port conta do abismo gigantesco que separa os dos grupos.

O ano de 2019 parece ter sido a consolidação do domínio do Bitcoin sobre o mercado de altcoins, em um cenário que não tem mostrado sinais de mudança.

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader desde 2017. Aficionado por tecnologia e entusiasta das criptomoedas, viu no WeBitcoin a oportunidade de unir duas paixões.