Governo francês revela que irá aprovar empresas de criptomoedas

França decide encaixar empresas vinculadas a criptomoedas em suas normas

De acordo com a Reuters, recentemente as autoridades francesas revelaram que até o final deste mês será aprovado o primeiro grupo de empresas vinculadas a criptomoedas sob suas diretrizes regulamentares.

Para fazer parte da iniciativa, que é uma das primeiras presentes em uma grande economia mundial, as empresas devem cumprir voluntariamente as normas sobre exigência de capital e proteção ao consumidor, estando ainda sujeitas a pagar impostos.

Aparentemente as autoridades já mantêm contato com vários fundos de gerenciamento, exchanges e candidatos para ICOs.

Como na maioria dos grandes países que resolvem abraçar o setor, a França optou por adequar o novo mercado às normas existentes, ao passo que países como Malta criaram uma nova e específica regulamentação.

Apesar de alguns episódios contraditórios, a França tenta atrair empresas vinculadas a criptomoedas há algum tempo. No ano passado, durante o grande estouro das ICOs, as autoridades de Paris propuseram normas para atrair a presença de emissores de criptomoedas, resultando na arrecadação de bilhões de euros.

Como noticiado anteriormente pelo WeBitcoin, o Ministro das Finanças da França, Bruno Le Maire, declarou em abril seu desejo de levar a regulamentação de cripto do país para todos os constituintes da União Europeia.

“Irei propor aos meus parceiros europeus que criemos um único quadro regulamentar para criptoativos inspirado na experiência francesa”, disse Le Maire durante um evento.

Na época, as autoridades não haviam revelado as exigências necessárias para que empresas registrassem de forma legal o vínculo com o setor. Aparentemente as novas normas também irão cobrir investidores contra fraudes, mas sem compensá-los em casos de perda.

A regulamentação proposta pela França concede às autoridades o espaço necessário para descobrir e verificar quem emitiu determinada moeda e quem administra determinada plataforma, tendo ainda acesso aos planos de negócios das empresas e descobrir se cumprem ou não as regras contra lavagem de dinheiro.

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli