Grande banco coreano lança plataforma de empréstimos baseada em blockchain

Banco sul-coreano utiliza a tecnologia no sistema de empréstimos

O Shinhan Bank, banco comercial mais antigo da Coreia do Sul, aparentemente lançou uma plataforma baseada na tecnologia blockchain para facilitar o processo de empréstimos.

De acordo com um relatório publicado na última segunda-feira (27) pela mídia local, o banco introduziu a tecnologia para verificar a documentação necessária dos candidatos como parte do processo KYC (know-your-costumer) para que a necessidade de uma interação “cara a cara” seja reduzida.

Com este passo o banco pretende impulsionar a eficiência de custos e dos cronogramas no processo de concessão de empréstimos. O comunicado também detalhou que o banco incluiu todas suas instituições e bancos afiliados na rede blockchain, e os dados podem ser acessados pelas partes afiliadas por meio de uma senha criptografada.

De acordo com o banco, este é o primeiro desenvolvimento comercial do tipo utilizando o blockchain no país.

Um porta-voz do Shinhan Bank revelou que o foco primário do banco ao introduzir a nova tecnologia é impulsionar o acesso remoto a seus serviços. Aparentemente o banco continuará implementando outros produtos desta natureza.

Bancos e o blockchain

Fundado em 1897 como Hanseong Bank, o banco recebeu o novo nome (Shinhan Bank) em 1982, sendo o segundo maior banco comercial do país. O banco é um dos mais antigos a apostar no blockchain, e implementou a tecnologia no ano passado em seu sistema de processos internos para minimizar o erro humano. Algumas mídias relatam que o banco introduziu transações de swap de taxas baseadas em blockchain.

Em paralelo, outros grandes bancos ao redor do mundo também estão testando a tecnologia para tornar mais eficiente seu processo atual. No início deste mês foi anunciado que a Autoridade Monetária de Singapura (MAS) e o Banco do Canadá (BoC) testaram um sistema de pagamento transfronteiriço utilizando uma moeda digital.

Ademais, um consórcio de bancos está planejando investir US$50 milhões para construir uma rede de liquidação de valores mobiliários baseada em blockchain.

FONTE: FINANCE MAGNATES

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli