Grande banco japonês inicia contagem regressiva para o lançamento da própria stablecoin

Mizuho Financial Group irá lançar a J-Coin em março

De acordo com o Nikkei Asian Review, o Mizuho Financial Group irá lançar a própria stablecoin atrelada ao iene japonês em 1º de março.

Anunciada em dezembro, a moeda será utilizada em serviços de remessa e pagamentos.

O projeto da “J-Coin” foi criado a partir de uma parceria de 60 empresas, que juntas possuem 56 milhões de contas de usuários. A stablecoin irá relacionar de modo direto todas as contas bancárias com carteiras digitais.

A moeda será controlada por um app chamado J-Coin Pay que fará uso de QR codes para concluir pagamentos de varejo, e será atrelada ao iene na proporção 1:1 (aproximadamente US$0,01). Todas as transferências entre contas bancárias e wallets J-Coin não possuirão taxas.

Em dezembro de 2018 o Mizuho Financial Group registrou mais de US$1,8 trilhão em ativos totais.

O CEO da holding bancária, Tatsufumi Sakai, declarou que “a chegada de todos esses novos participantes ao espaço de pagamentos digitais está corroendo a noção de que serviços de pagamento são fornecidos por instituições financeiras”.

Atualmente o Japão conta com diversos serviços de pagamento inovadores, como a empresa de e-commerce Rakuten e o Line, app de mensagens que já possui a própria criptomoeda e sistema interno blockchain.

De acordo com o Nikkei, os usuários da nova stablecoin não precisarão passar por verificações de crédito e o serviço estará disponível para menores de 18 anos. As carteiras da moeda também irão disponibilizar uma flexível faixa de pagamentos e serviços de remessa, com opções que permitem que colegas dividam contas e membros da mesma família transfiram mesadas.

Para estabelecer a plataforma com os atuantes do comércio de varejo, a Mizuho passou a negociar com a loja de conveniência FamilyMart e com a varejista de eletrônicos Bic Camera. A holding possui o objetivo de integrar pelo menos 300 mil estabelecimentos e inscrever o mínimo de 6,5 milhões de usuários em poucos anos.

Apesar das grandes pretensões e recursos, o alcance de usuários ainda é inferior ao do Line, que possui quase 80 milhões de usuários somente no Japão. Atualmente o Line Pay está presente em 1,3 milhões de lojas. Com tal margem, é provável que o Mizuho busque por uma parceria com o Alipay do Alibaba para ajudar o J-Coin Pay a ganhar força no comércio.

O projeto também pretende cobrar taxas de transação mais baixas do que serviços de cartão de crédito, que geralmente variam de 2% a 5%, o que se tornará um grande atrativo para comerciantes.

Em janeiro de 2018 o Mitsubishi UFJ Financial Group, grande banco japonês e atualmente o quinto maior do mundo, revelou planos para o lançamento de uma stablecoin atrelada ao iene, a MUFG Coin. O grupo também pretende lançar um sistema de pagamento baseado na tecnologia blockchain em parceria com a Akamai em 2020.

FONTE: COINTELEGRAPH

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli