Hard fork London: atualização promete tornar a Ethereum deflacionária

Atualização já foi lançada em duas redes de teste da Ethereum

O próximo hard fork da Ethereum, chamado London, pode chegar em julho. Ele já foi lançado nas redes de teste Ropsten e Goerli e deve ser lançado em breve na rede de teste Rinkeby.

Se todos os testes forem bem-sucedidos, será definida uma data de lançamento, que provavelmente pode ser no final de julho ou até agosto de 2021.

O que significa o hard fork London para a rede Ethereum?

London é na verdade apenas uma atualização de protocolo, seguindo Berlin, e inclui cinco EIPs.

O mais importante é o EIP-1559, que modifica as taxas da cadeia Ethereum 1.0.

Este EIP apresenta uma taxa básica fixa para transações, mas pode ser variada por algoritmos de forma que aumente quando os blocos estão acima da meta de gás ou diminua quando eles estão abaixo.

A taxa básica é então queimada.

Atualmente, as taxas de transação da Ethereum são baseadas em um mecanismo de leilão simples, onde os usuários enviam transações oferecendo um determinado gás e os mineradores escolhem as transações com as ofertas mais altas.

Isso leva a uma série de ineficiências que o EIP-1559 visa abordar com a introdução da nova estrutura de taxas.

A nova estrutura de taxas fornece uma taxa base discreta para transações que estão incluídas no próximo bloco, com a opção de os usuários priorizarem suas transações adicionando uma chamada “taxa de prioridade” para incentivar a mineradora a uma inclusão mais rápida. O minerador embolsa a taxa de prioridade, enquanto a taxa básica é queimada.

Os outros EIPs introduzidos pela London são EIP-3198, EIP-3529, EIP-3541 e EIP-3554.

Esta última serve para atrasar os efeitos da chamada “bomba de dificuldade” até dezembro de 2021.

Desde que a rede de teste Ropsten foi atualizada com o hard fork London em 24 de junho, o preço da ETH retornou bem acima de $ 2.000, talvez devido em parte às expectativas em torno desta atualização.

De fato, presume-se que o EIP-1559 em particular tornará a ETH 1.0 deflacionária, ou pelo menos menos inflacionária, embora esta atualização não se aplique à ETH 2.0 que, sendo baseada em Proof-of-Stake, não exigirá mineração.

Por exemplo, de acordo com o diretor de comunicações e conteúdo da ConsenSys James Beck, queimar a taxa básica vai colocar pressão deflacionária sobre a emissão de novas ETHs, mas é difícil estimar a força disso, pois muitas variáveis ​​precisam ser levadas em conta, como número de transações e congestionamento da rede. Teoricamente, quanto mais transações houver, maior será a pressão deflacionária, pois a taxa base de cada transação será fixa.

Contudo, esses problemas serão definitivamente resolvidos com a futura mudança para PoS.

Fonte: Cryptonomist

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.