IBM e PIL concluem teste de envio de produtos a Singapura utilizando a tecnologia Blockchain

O teste reduziu o manuseio de documentos necessários para o transporte

De acordo com um comunicado realizado nesta quinta-feira, 31 de janeiro a IBM completou com sucesso um teste blockchain que visava o envio de 108 mil tangerinas a Singapura.

O país está importando grandes quantidades de produtos antes da chegada do ano novo lunar.

Concentrada em utilizar a tecnologia para aprimorar vários ambientes sociais, a IBM fez uso do blockchain para reduzir o manuseio de documentos e custos da remessa, que se originou na China.

A transição foi acompanhada Pela PIL (Pacific International Lines) utilizando uma versão eletrônica do Bill of Lading (e-BL), documento comercial processado por uma rede blockchain.

“Uma rede de comércio baseada em blockchain será um divisor de águas, e temos aqui uma grande oportunidade com nosso parceiro PIL para revolucionar os processos de documentação de uma maneira que beneficie toda a indústria. (…) Apoiado pelo blockchain, o e-BL desenvolvido pela IBM Research de Singapura será essencial para auxiliar no estabelecimento de um ecossistema extensível para o comércio, aumentando, desta forma, a eficiência comercial e criando relações comercias confiáveis entre os participantes.”, disse Harriet Green, CEO da IBM Asia Pacific.

A notícia chega quase simultaneamente ao anúncio da Nestlé, que irá expandir o alcance de sua iniciativa IBM Food Trust, baseada na tecnologia e em andamento desde 2016. No âmbito global, a IBM pretende ampliar o uso da tecnologia. O caso mais recente relatado foi a participação em uma extração de cobalto na República Democrática do Congo.

No último ano a IBM lançou o TradeLens, plataforma de cadeia de fornecimento dedicada a uma parceria com a Maersk, grande nome do transporte marítimo.

“Até o momento, recebemos feedbacks positivos da indústria e das autoridades, e estamos entusiasmados com as possibilidades de como nossos desenvolvimentos blockchain podem se transformar e injetar uma alavancagem muito necessária em eficiência e inovação na indústria”, disse Lisa Teo, diretora executiva da PIL.

FONTE: COINTELEGRAPH

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli