Ilhas Maurícias iniciam regulamentação para serviços de custódia de criptomoedas

A medida visa tornar o ecossistema mais seguro para os investidores

De acordo com um documento publicado na segunda-feira, 5 de novembro, a Comissão de Serviços Financeiros (FSC) das Ilhas Maurícias iniciou um projeto de regulamentação para serviços de custódia de criptomoedas.

O país africano pretende permitir que os usuários de serviços deste setor possuam um nível adequado de segurança.

Segundo o projeto, o FSC irá emitir uma licença de serviço de custódia que permitirá que uma entidade opere como detentora de criptomoedas e funcione como guardiã dos ativos.

Para adquirir a licença, os detentores devem cumprir as leis antilavagem de dinheiro e contra o financiamento do terrorismo.

Os detentores também devem manter pelo menos 500.000 rupias mauricianas (MUR) ou US$14.000 de capital “intacto”. Além disso, a empresa deverá possuir uma diretoria composta por pelo menos três indivíduos, sendo um deles residente na ilha.

O primeiro empreendimento a requerer a licença, segundo a agência financeira Magnates, será o International Marketplace, da Hybrid Stock Exchange Corporation Limited (HYBSE). A nova exchange foi anunciada ontem pela GMEX em parceria com a MINDEX e HYBSE.

De acordo com o FSC, o regulamento ainda não está finalizado. A Comissão declarou ainda que apreciaria um feedback da comunidade industrial em relação ao tópico.

FONTE: COINTELEGRAPH

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli