Investidores institucionais por trás da alta das criptomoedas?

Pesquisa da Binance estabelece correlação entre procura de investidores institucionis e a alta das criptomoedas

O departamento de pesquisa da Binance, uma das maiores exchanges de criptomoedas do mercado, publicou um relatório que demonstrou uma forte demanda por criptomoedas da crescente frente de investidores institucionais. A tendência, segundo especialistas, é um dos fatores por trás da recuperação das criptomoedas.

“Durante os últimos três meses, observamos um novo vigor na indústria de criptomoedas. A capitalização de mercado das criptomoedas ascendeu de US$130 bilhões em 1 de março de 2019, para quase US$260 bilhões em 31 de maio de 2019, representando 100% de crescimento em apenas três meses. Ao longo deste período, a Binance Research cobriu um grande leque de tópicos, desde stablecoins, correlações de criptoativos, forks e halvings de cripto, previsões do mercado, ciclos (…), e mais”

Nomeadamente, os analistas observaram o aumento nos volumes de trading do Bitcoin na regulamentada Chicago Merchant Exchange (CME). Portanto, em 13 de maio, o volume de negociação atingiu o pico histórico de 33.677 contratos (o que vale US$1.3 bilhão em Bitcoin). Ademais, o número de contas engajadas em trading de derivativos subiu para 2.500.

“Investidores institucionais, atualmente representando (em nossas suposições conservadoras) menos de 10% de todos os investidores de longo prazo, estão aumentando sua exposição a ativos digitais e 7 criptomoedas,  como ilustrado por cerca de 40% no Grayscale Bitcoin Trust (GBTC) sobre o preço do BTC no final de maio”.

Falando sobre tokens focados em privacidade e descentralização, especialistas da Binance observaram que os players do mercado estão preocupados quanto à pobre fungibilidade de algumas criptomoedas e a concentração de pools de mineração.

Entre outras coisas, os pesquisadores focaram na correlação entre o valor em USD de diferentes criptoativos, onde o Bitcoin continua a liderar o mercado que “dá o tom” para as altcoins. Entretanto, na maioria do tempo, a irracionalidade do mercado, ou o chamado efeito manada, desempenham o papel dominante na definição das flutuações de preço.

“Neste período, a correlação das altcoins com o Bitcoin também atingiu uma alta histórica (13 de março de 2018). Isso coincidiu com a queda do Bitcoin da faixa de US$6.000 para a faixa de US$3.000.A alta correlação sugere que o sentimento de mercado já encontrou uma máxima durante este período, e uma tendência reversa pode se seguir. Tal padrão de movimento de valor, até determinado ponto, pode refletir tanto o comportamento irracional dos participantes do mercado, quanto alguns traços inerentes de um mercado jovem”

Levando-se em consideração a curta história do mercado de cripto, pode ser prematuro dizer que há uma relação casual entre picos em correlação e reversões do mercado, ou se é realmente um efeito de “pastoreio” (manipulação) durante as próprias reversões do mercado. O desenvolvimento deste fenômeno continuará a ser observado, mas há a crença de que poderia ser um indicador de sentimento valioso.

Entretanto, os especialistas destacaram que é difícil dizer se existe uma relação entre picos de correlação e reversões de mercado ou se as reversões do mercado foram distorcidas por um efeito de manipulação.

FONTE: FX STREET

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli