IoT, blockchain e privacidade: conheça a câmera Ucam da IoTeX

Entenda como a Ucam faz uso de blockchain para proteger a sua privacidade

À medida que o mundo se torna mais conectado, a necessidade de segurança e privacidade aumenta. Embora muitos de nós tenhamos ciência de possível invasão aos nossos dados digitais, a questão fica mais séria quando afeta o bem-estar físico de nossas famílias. As invasões às marcas famosas como Ring e Nest, e o recente vazamento de informações da  Wyze , chocaram os consumidores da Internet das Coisas (IoT).

Esses ataques e violações de dados são o resultado da insuficiência na segurança e na privacidade .  E para evitá-los e fornecer aos usuários total controle sobre seus dados, identidade e privacidade a IoTeX desenvolveu a Ucam.

É importante entendermos como tais vazamentos de dados e invasões de câmeras aconteceram e como a Ucam da IoTeX que utiliza a tecnologia blockchain pode fornecer a privacidade e a segurança que você precisa.

Como ocorrem os vazamentos em massa

O vazamento de dados de grande escala na Wyze, marca popular de câmeras de segurança domésticas, expôs informações de 2,4 milhões de usuários em dezembro de 2019. Pesquisas indicam que o ataque aconteceu por negligência de funcionários, o administrador da Nuvem falhou em proteger dados dos usuários depois que foram transferidos para um servidor realizar teste comportamental do consumidor. Lamentavelmente, a maioria dos vazamentos em massa seguem a mesma linha. O ataque só foi possível porque a Wyze armazenava dados de usuários de forma centralizada ao invés das informações serem controladas (autorizações/permissões) apenas pelos consumidores.

Felizmente, é possível oferecer total privacidade e uma ótima experiência aos consumidores e essa é a principal missão da IoTeX oferecer produtos acessíveis, funcionais e voltados ao usuário do mercado convencional, onde os próprios usuários são os que têm controle total de suas informações.

Como as câmeras de segurança foram hackeadas

As invasões garantem aos hackers total acesso aos dispositivos, permitindo que eles façam tudo que o proprietário poderia fazer. Por exemplo, no ataque na Nest, tocaram sons de um vídeo pornográfico dentro do quarto de uma garotinha através de uma câmera da família.  Assustador? Sim. Invasivo? Claro. Evitável? Com toda a certeza.

De onde esses ataques se originam? Eles nem são muito sofisticados, sendo geralmente por força bruta – hackers programam códigos para adivinhar sua senha (atualmente, uma senha alfanumérica de sete dígitos pode ser descoberta em menos de dois segundos). Quase todos os usuários de Internet já tiveram pelo menos uma de suas senhas comprometidas.

Em resposta a invasão na Nest, o Google se eximiu de responsabilidades, culpando os usuários por usarem senhas diferentes ao configurarem seus dispositivos. Ora, empresas de trilhões de dólares não deveriam culpar usuários; pelo contrário, segurança e privacidade teriam de vir de fábrica nos dispositivos IoT.

Como a Ucam usa blockchain para prover a segurança e a privacidade que você precisa

Em meio as notícias que afetaram a confiança do consumidor em dispositivos IoT, especialmente câmeras de monitoramento, a IoTeX – determinada  em apresentar uma classe de produtos inteiramente nova, com segurança otimizada voltada ao usuário, com total privacidade e propriedade de dados aos consumidores – utilizou  a tecnologia blockchain no projeto da Ucam com dois propósitos primordiais:

1 – Garantia da Segurança de Logins e Identidades Blockchain, tornando-as não hackeáveis por força bruta;

2 – Emissão Descentralizada de Chaves Criptografadas, para assegurar aos usuários que eles sejam os únicos a acessarem suas informações, identidades e outros dados privados.

Vamos nos aprofundar em ambos os casos.

A primeira finalidade em usar blockchain é a configuração de um clique para criar uma identidade blockchain segura via IoTeX (chave privada/pública) para o usuário. Ao contrário dos logins em dispositivos tradicionais, as chaves privadas/públicas proporcionadas via blockchain são impossíveis de serem hackeadas por força bruta. Além disso, essas chaves são únicas e exclusivas em relação a todos os outros nomes de usuário/senhas (Identidades de Internet) usados para entrar em sites e apps. Esse aplicativo de identidade baseado em blockchain é um porto seguro importante para o consumidor e irá mitigar as maiores fontes de ataques em câmeras de segurança.

ucam iotex

O segundo motivo da Ucam usar blockchain é por emitir chaves criptografadas para seus proprietários de uma maneira descentralizada. As empresas centralizadas geram essas chaves, dando uma cópia ao usuário e mantendo uma cópia para si. A má gestão dos dados dos usuários por empresas centralizadas tem exposto uma quantidade enorme de informações pessoais na dark web.

Com a Ucam, apenas o usuário é proprietário da chave criptografada, além de ser o único capaz de acessar seus dados isto é, nem IoTeX, nem fabricante, nem provedores de Nuvem, nem mais ninguém é capaz disso!

Ao contrário de outras câmeras baseadas em Nuvem, todo o processamento (criptografia, detecção de movimentos, áudio bidirecional) é realizado “no aparelho”. Isso elimina a necessidade de usar uma Nuvem centralizada para armazenar/computar dados. Toda a computação crítica é realizada diretamente na Ucam ou no telefone celular do usuário. Como resultado, simplesmente não é possível ser vítima de vazamentos de dados massivos por negligência corporativa. Com a Ucam, o usuário está totalmente no controle de seus dados, identidades e privacidade.

Recursos tecnológicos de ponta

Através da Ucam podemos oferecer tanto conveniência como privacidade!

O objetivo da IoTeX para a Ucam tem sido prover todos os recursos que os usuários desejam sem sacrificar a segurança e privacidade que eles precisam. A total privacidade de dados é o grande diferencial e supera outras câmeras por oferecer os seguintes recursos de ponta: configuração em um clique, vídeo 1080p, cobertura 360°, detecção de movimentos, áudio bidirecional, visão noturna e muito mais. Vejamos em detalhes:

Configuração em um clique da identidade IoTeX

A Ucam utiliza um login exclusivo baseado em blockchain, que devolve a propriedade dos dados às mãos dos usuários. Isso elimina a fonte da maioria das invasões em câmeras de segurança domésticas atualmente.

Com isso em mente, a IoTeX desenvolveu um processo limpo de configuração em um clique de forma que pessoas sem experiência com blockchain consigam configurá-la facilmente. Com apenas um clique, uma ‘identidade IoTeX’ (ou ‘chave privada’) é gerada e armazenada localmente de maneira automática. Para aqueles que já tenham uma chave privada, é possível utilizar o app ioPay (disponível em desktops e celulares/tablets, para iOS e Android), que é a carteira oficial da IoTeX.

Conclusão

Mais do que trabalhar com a Internet das Coisas, a IoTeX pavimenta o caminho para a “Internet das Coisas Confiáveis”, por meio de dispositivos totalmente privados como a Ucam.

A pré-compra da câmera será liberada na primeira quinzena de fevereiro, com um valor unitário já determinado em USD 50,00.

Para mais informações e atualizações sobre o projeto, junte-se ao grupo em Português no Telegram.

Câmera Ucam da IoTeX: a privacidade e segurança que você precisa!

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader desde 2017. Aficionado por tecnologia e entusiasta das criptomoedas, viu no WeBitcoin a oportunidade de unir duas paixões.