IOTA lança Pollen, a rede de testes altamente esperada para sua segunda atualização

Atualização planejada para a IOTA 2.0 traz recursos aguardados desde o lançamento da IOTA

A IOTA anunciou a conclusão da tão esperada rede de testes apelidada de “Pollen”. Isso marca oficialmente o início da primeira fase da atualização da IOTA 2.0. O anúncio feito na página oficial da IOTA resume todos os recursos, que visam acelerar a descentralização na rede atualizada. O marco é um dos mais significativos para a rede, cujo objetivo principal inclui o pioneirismo de um sistema completamente descentralizado, além de ser gratuito para os usuários da rede.

Enquanto o post do blog diz: “Pollen marca o início do primeiro Distributed Ledger verdadeiramente descentralizado, escalável e sem taxas, que é a promessa da IOTA desde o primeiro dia”.

Pollen é a base mais fundamental na qual os testes para a atualização da IOTA serão efetivamente realizados. Com a criação bem-sucedida da Pollen, a comunidade cripto pode esperar que o projeto geral esteja se realizando.

Após o alphanet anterior v0.1.3, que foi apelidado de GoShimmer, a Pollen é considerada a “base para uma rede funcional sem coordenadores”. A partir de agora, o código destinado a qualificar a Pollen como uma rede de testes com “recurso completo” sofrerá modificações.

A Pollen vem com cinco recursos principais, o primeiro dos quais é o mais novo algoritmo de consenso da rede criado para promover a descentralização máxima. O recurso é denominado “Fast Probabilistic Consensus” (Consenso probabilístico rápido).

Transação de valor é o segundo recurso que suporta o uso de “automated faucets” para enviar e receber tokens e transações de valor na carteira. Esse recurso também permite a resolução de conflitos na rede.

O terceiro recurso pretende melhorar a experiência do usuário. Ele também permite a atribuição de cores a diferentes ativos do mundo real, como dispositivos IoT, ações e empresas.

Prometheus e Grafana é o terceiro recurso, projetado para permitir o monitoramento de diferentes métricas, ativando o painel Grafana para operações de nó.

O último recurso foi nomeado “Feeless dApps” e, como o nome sugere, essa inovação foi criada especificamente com recursos que aprimoram o desenvolvimento de aplicativos descentralizados no futuro. Entre as muitas integrações impressionantes, está uma nova arquitetura com três camadas, permitindo recursos futuros como Tokenização, Escalabilidade, Contratos Inteligentes, Feeless Apps e Sharding.

No segundo semestre de 2020, a próxima fase (Nectar) deverá ser lançada com algumas de suas características, incluindo controle de taxa e PoW adaptável. “Honey”, a terceira e última fase do projeto será incorporada com módulos para especificações gerais. Até então, a IOTA garante que a rede passaria por tantos testes e tanta segurança quanto necessário para o lançamento da IOTA 2.0; uma rede principal IOTA totalmente descentralizada.

Fonte: ZyCrypto

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader desde 2017. Aficionado por tecnologia e entusiasta das criptomoedas, viu no WeBitcoin a oportunidade de unir duas paixões.