Irlandês é preso por participação em roubo de US$ 2 milhões em criptomoedas

Roubo de criptomoedas: parece que as autoridades estão ficando cada vez mais atentas

Um homem de 21 anos de Dublin que participou do roubo online de mais de US$ 2 milhões em criptomoedas está agora preso. O Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos identificou Conor Freeman como a pessoa por trás de certos identificadores de internet conectados aos crimes.

A polícia local disse que Freeman fazia parte de um grupo de pessoas que conseguiu acessar as credenciais de suas vítimas através das redes sociais. De acordo com a promotoria, Freeman usaria esses dados para roubar as criptomoedas que eles possuíam. O produto dos roubos seria dividido igualmente entre todas as partes envolvidas.

Em julho deste ano, relatórios afirmavam que os Estados Unidos provavelmente retirariam o pedido de extradição de Freeman naquela época. Se o jovem hacker tivesse sido condenado nos Estados Unidos, ele teria enfrentado até 108 anos de prisão. No entanto, o Tribunal Criminal do Circuito de Dublin ouviu que os outros cinco co-acusados ​​neste roubo estão em tribunal nos Estados Unidos.

Após sua prisão, Freeman entregou a parte restante do roubo para a polícia irlandesa. Desde o roubo, as criptomoedas roubadas só subiram de preço e agora valem mais de US$ 2 milhões. Freeman, que se confessou culpado de se envolver conscientemente na posse do produto do crime, tinha 142.75682712 Bitcoins com ele.

De acordo com relatórios locais, Freeman admitiu ter roubado $ 100.000 em criptomoedas chamadas polymath, Ethereum e “metal” de Darran Marble em 15 de maio de 2018. Ele também se declarou culpado de roubar Ethereum, Litecoin, “Wax”, Omisego e LOCICoin, com um valor aproximado de $ 1.921.335, de Seth Sharpiro em 16 de maio de 2018.

Ele ainda se declarou culpado de roubar Ethereum e Bitcoin com um valor aproximado de $ 167.622,22 de Micheal Templeman.

Fonte: AMBCrypto

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.