JPMorgan diz que o Bitcoin pode subir até US$ 100.000 e deixa um importante aviso no ar

Para o JPMorgan, uma alta tão rápida do Bitcoin seria algo “insustentável”

A alta de 300% do Bitcoin em 2020 pode se repetir este ano, mas tal movimento de alta seria insustentável, disse o JPMorgan em nota na segunda-feira.

“Embora não possamos excluir a possibilidade de que a atual mania especulativa se propague ainda mais, empurrando o preço do bitcoin para a região de consenso entre US $ 50 mil – US $ 100 mil, acreditamos que tais níveis de preços se provariam insustentáveis”, disse a nota.

O Bitcoin subiu para quase US$ 35.000 no domingo, antes de cair 17% na segunda-feira, sua queda mais acentuada desde março.

O JPMorgan ainda vê o Bitcoin competindo com o ouro como uma moeda “alternativa”, com investidores mais jovens preferindo o “ouro digital” ao ouro tradicional e impulsionando a demanda pela criptomoeda.

Com um valor de mercado de US$ 575 bilhões, o Bitcoin teria que subir para US$ 146.000 para igualar o investimento total do setor privado em ouro por meio de fundos negociados em bolsa ou barras e moedas, disse a nota.

Mas essa meta de crescimento de longo prazo baseada no Bitcoin se tornando tão valioso quanto o mercado de ouro é baseada em instituições que se sentem confortáveis ​​com a volatilidade associada com o criptoativo conforme ele ocupa um lugar em seus portfólios. Para fins de gerenciamento de risco, um Bitcoin menos volátil provavelmente levaria a uma maior adoção entre as instituições.

“Portanto, não é realista esperar que as alocações para Bitcoin por investidores institucionais correspondam às do ouro sem uma convergência nas volatilidades. É improvável que uma convergência nas volatilidades entre o Bitcoin e o ouro aconteça rapidamente e, em nossa mente, é um processo de vários anos,” disse o JPMorgan.

“Acreditamos que o cenário de avaliação e posição se tornou muito mais desafiador para o Bitcoin no início do ano novo”, acrescentou.

Outro analista que vê o Bitcoin chegando a US$ 100.000 é Tom Lee, da Fundstrat, que disse na semana passada que o criptoativo poderia quadruplicar em 2021, uma vez que experimenta uma recuperação parabólica semelhante a 2017.

bitcoinpr.JPG

Fonte: Markets Insider

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.