JPMorgan: Investidores entenderam a importância dos futuros de Bitcoin

JPM fala sobre futuros de Bitcoin e falsos volumes de trading

De acordo com a JPMorgan Chase & Co, os futuros de Bitcoin podem ser mais importantes do que é apreciado por muitos integrantes do mercado.

Relatórios publicados pela Bitwise e pelo Instituto de Transparência Blockchain indicam que apenas uma pequena porcentagem do trading reportado pode ser autêntica.

Se apenas cerca de 5% dos US$725 bilhões em trading reportados em maio for genuíno, isso implicaria que o verdadeiro volume de trading de Bitcoin em exchanges de criptomoedas no mês foi cerca de US$36 bilhões, escreveram estrategistas da JPMorgan liderados por Nikolaos Panigirtzoglou em um relatório sexta-feira, trabalhando com dados do CoinMarketCap.

Isso se compara a um volume agregado estimado de US$12 bilhões nos contratos futuros da CME e Cboe, afirma a JPMorgan, um salto próprio dos US$5,5 bilhões de abril e uma média mensal de US$1,8 bilhão no primeiro trimestre de 2019.

Uma grande implicação disto é que a “importância dos mercados futuros listados foi significativamente entendida,” escreveu Panigirtzoglou.

“O relatório da Bitwise credita os futuros negociados como um importante desenvolvimento para permitir pequenas exposições que permitiram que os arbitradores se envolvessem de forma apropriada com a arbitragem, e que o volume de participação de futuros de Bitcoin  aumentou de forma significativa em abril/maio.”

A Bitwise disse no relatório arquivado com a SEC em março, que algumas exchanges inflavam seu volume de trading para aparecer em melhores posições nos rankings, o que pode atrair mais usuários e gerar taxas.

O CoinMarketCap, que é um dos maiores agregadores de dados sobre criptomoedas, afirmou na época que as preocupações em relação à imprecisão de dados “são válidas”.

“A sobreavaliação dos volumes de trading por exchanges de criptomoedas, e por implicação, a avaliação da importância de futuros listados, sugerem que a estrutura do mercado provavelmente mudou consideravelmente desde o último pico no valor do Bitcoin no final de 2017 com uma grande influência de investidores institucionais,”, disse a JPMorgan.

FONTE: LIVE MINT

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli