Projeto Defi registra primeira escritura pública do mundo em blockchain

LightDefi tem terreno para usina de energia fotovoltaica registrado em cartório

Terreno Lightdefi

A LightDefi, maior projeto cripto-ambiental da América Latina, acaba de anunciar uma das novidades mais esperadas desde o anúncio do seu roadmap, no primeiro semestre de 2021. Agora, o terreno adquirido na zona rural de São Gonçalo do Amarante, estado do Ceará, em área limítrofe ao município de São Luís do Curu, teve sua escritura pública lavrada e registrada em cartório.

Na área registrada, será construída a primeira usina de energia fotovoltaica do projeto Light. O empreendimento terá potência de 2.5 megawatts e vai gerar 5.5 milhões de kwh/ano, energia suficiente para abastecer mais de 2500 residências. O projeto ainda tem como meta a ampliação da produção para 200 megawatts.

Após a ampliação, a usina produzirá energia limpa suficiente para abastecer mais de 200 mil residências. A iniciativa livrará a atmosfera da emissão de mais de 25 mil toneladas de CO₂ por ano.

Além do documento físico, a escritura foi registrada na blockchain BNB Chain (antiga Binance Smart Chain). Segundo os desenvolvedores do projeto, esse seria o primeiro registro no mundo em blockchain da escritura de um terreno voltado para a atividade de geração de energia fotovoltaica.

Curiosamente, ao analisar a documentação original de escritura encaminhada à imprensa, é possível encontrar a hash do token não fungível (NFT) criado para o registro.

Outra novidade, é que no próximo dia 6 de abril o token oficial do projeto, o Light DeFi (LIGHT), também estará presente na rede Ethereum. A plataforma de contratos inteligentes é conhecida por deter a atenção de grandes players do mercado.

De acordo com a equipe, a crosschain do token LIGHT com a rede Ethereum tem como objetivo dar uma maior visibilidade ao projeto, em especial na esfera internacional.

O início do ano de 2022 trouxe boas notícias para os investidores do projeto. O token Light DeFi (LIGHT) foi listado na exchange global BigOne.

Mas que projeto é esse?

O projeto Light é focado na fomentação do uso de energia gerada por fontes renováveis. A iniciativa pertence a Brillacom, empresa internacional, sediada no Uruguai, que faz investimentos nas áreas de blockchain e sustentabilidade.

O ecossistema do projeto inclui o ativo Light DeFi, o novo token Light Minner, o banco digital Light Bank, as exchanges Light X e Light Dex, e ainda o energético Light Energy Drink. A bebida energética é uma estratégia do projeto para aumentar o seu alcance entre jovens, influencers e gamers.

O projeto é auditado pela Certik, principal empresa do mundo em análise e monitoramento de protocolos blockchain e projetos DeFi. Outra conquista foi o recebimento do selo de parceria Absolar, emitido pela Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica. Além disso, recentemente o projeto assinou o Cripto Climate Accord, se tornando signatário do acordo.

Por fim, o projeto agora conta com um novo advisor, Anndy Lian, considerado o maior especialista em blockchain da ásia.

Conteúdo Patrocinado!

Foto de André Cardoso
Foto de André Cardoso O autor:

André , ariano, engenheiro, empreendedor, trader de criptos profissional, palestrante e professor. Adora números, gráficos e aprender coisas novas.

andre.cardoso.btc/