Londres terá vantagem sobre os concorrentes se usar cripto

O ex-chanceler Philip Hammond disse que Londres precisava avançar rapidamente com ativos digitais para garantir sua vantagem pós-Brexit, em serviços financeiros

Em entrevista à City AM, o ex-membro do Partido Conservador – Philip Hammond – opinou que o Reino Unido deveria mudar seu foco de Brexit para moedas digitais. Ao fazer isso, o reino poderia garantir sua situação financeira desde o bitcoin, e as altcoins se tornarão cada vez mais empregadas em um nível macroeconômico:

“Eu pessoalmente acho que o ímpeto agora é imparável. Precisamos agir com rapidez e eficácia para garantir a posição de Londres. ”

Digital Asset Deposits Copper, para o qual Hammond se juntou como consultor sênior no mês passado, permite que mais de 400 investidores institucionais, incluindo bancos, manuseiem e negociem criptoativos. A empresa reúne mundos de negócios financeiros tradicionais e descentralizados, uma colisão que Hammond vê como inevitável.

Hammond, que atuou como chanceler por três anos sob o comando de Theresa May e tornou-se Life Peer em 2020, é um defensor de longa data de novas tecnologias financeiras.

“A maioria das instituições sabe que, gostemos ou não, isso vai acontecer”.

Disse Hammond.

“Não é algo que alguém que dirige uma grande empresa de serviços financeiros possa se esconder.”

Embora o ex-chanceler da Grã-Bretanha não invista em criptomoedas, ele acredita no potencial transformador de sua tecnologia subjacente, e acredita que a blockchain pode dar suporte a um futuro sistema de comércio.

Quanto ao tópico de regulamentação, Hammond lamentou que as autoridades do Reino Unido tenham negligenciado o setor de criptomoedas. Ele acredita que, os cães de guarda britânicos deveriam levar o assunto mais a sério:

“Os reguladores têm estado muito distraídos. Precisamos agir rapidamente para mostrar que essa tecnologia é reconhecida e aceita pelos legisladores e reguladores do Reino Unido.”

Em contraste, a UE propôs esquemas de projetos para ativos digitais, a fim de fornecerem a clareza, tão necessária às criptomoedas. Os Mercados de Criptoativos da Europa (MiCA), estão pressionando por um monitoramento centralizado de mercados cripto e fornecendo diretrizes para proteção ao consumidor.

“Eles não podem copiar um centro financeiro do tamanho de Londres, e é por isso que ainda temos a bola na nossa metade do campo”. Disse Hammond.

O governo não tomou nenhuma providência quanto à reprimenda do comitê, que aumentou a disputa de Westminster sobre se os representantes políticos deveriam ter permissão para assumir cargos fora de suas obrigações parlamentares.

Foto de Neidson Soares
Foto de Neidson Soares O autor:

Conheceu esse universo dos criptoativos em 2016 e desde 2017 vem intensificando a busca por conhecimentos na área. Hoje trabalha juntamente com sua esposa no criptomercado de forma profissional. Bacharelando em Blockchain, Criptomoedas e Finanças na Era Digital.

neidson8