Maior região industrial da Europa irá criar Instituto Blockchain para competir com os EUA

Alemanha receberá Instituto blockchain

De acordo com um comunicado de imprensa publicado na última terça-feira, o estado alemão da Renânia do Norte-Vestfália pretende criar um Instituto Europeu de Blockchain na cidade de Dortmund, situada no Vale do Ruhr.

A localização foi estrategicamente apontada, visto que o Vale do Ruhr é formado por um conjunto de onze cidades e vários municípios que formam não só a região metropolitana mais populosa do país, como a maior região industrial de todo o continente.

Apontada como “Internet dos Valores”, o comunicado afirma que a tecnologia será utilizada para viabilizar o uso da internet de forma rápida e sem riscos de falsificação. Aparentemente os processos serão realizados no Instituto Fraunhofer de Fluxo e Materiais e Logística (IML), que oferece pesquisas e serviços de desenvolvimento para ajudar empresas com desafios logísticos internos e externos.

O comunicado segue comparando a Europa aos Estados Unidos, afirmando que o continente está atrasado, visto que os EUA já estão “trabalhando duro na Internet dos Valores”. De acordo com o texto, esta é a chance que a Europa encontrou para se recuperar, visto que o estado alemão tem chance de se tornar pioneiro no setor com a criação do novo instituto.

Aparentemente, a abordagem da tecnologia blockchain no novo projeto será voltada para o registro digital “perpétuo” de transações “business-to-business” , como escrituras, licenças, transações monetárias ou assinaturas.

O comunicado cita ainda o Bitcoin como o caso de uso mais conhecido do blockchain, acrescentando que a tecnologia consome grandes quantidades de energia. Entretanto, Andreas Pinkwart, Ministro da Economia local, afirma que o blockchain “prevalece”, declarando que a tecnologia pode ser acessível, segura, e não exige tamanha energia quando utilizada da forma correta.

O texto não citou datas nem nenhuma previsão para o início das pesquisas.

Apesar de apresentar uma posição um tanto tradicional no início, a Alemanha está caminhando em direção ao novo mercado, principalmente se tratando do blockchain.

Recentemente o governo alemão anunciou planos para introduzir um projeto de regulamentação que permite ligações relacionadas ao blockchain. A iniciativa, que deve ser posta em prática em breve, visa tokenizar processos que atualmente são realizados no papel, ao passo que assegura que a legalização do setor irá prevenir o surgimento de uma área cinzenta na regulamentação.

Por ser uma tecnologia nova, as autoridades estão encontrando certos desafios ao tentar entender e regulamentar o blockchain. A situação foi apontada recentemente por Clyde Vanel, representante da Assembleia Legislativa do Estado de Nova York. De acordo com seu discurso durante o Ethereal Summit, esta indústria precisa de aprimoramento para fazer um melhor lobby de si mesma e educar os reguladores, noticiando melhor suas conquistas ao público para que os holofotes sejam desviados de casos envolvendo pessoas mal intencionadas e atividades ilícitas.

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli