Mais de 1.000 máquinas de mineração de Bitcoin foram brutalmente esmagadas pela polícia da Malásia

Diferente do que foi apontado por muitos na redes sociais, a operação de destruição de máquinas de mineração de Bitcoin não ocorreu na China, e sim Malásia

Mil e sessenta e nove máquinas de mineração de Bitcoin foram descartadas no início desta sexta-feira em uma delegacia de polícia da Malásia, segundo um relatório da The Star.

Um vídeo – que mostra ASICs sendo brutalmente esmagadas com um rolo compressor – circulou nas redes sociais hoje, mas muitos atribuíram falsamente ao governo chinês em meio à repressão da China à indústria cripto.

As máquinas foram apreendidas em uma operação ocorrida de fevereiro a abril.

Oito pessoas envolvidas no roubo de eletricidade foram presas.

A polícia afirma que os mineradores roubaram um colossais RM 8,4 milhões (US $ 1,9 milhão) em eletricidade da empresa de desenvolvimento de energia Sarawak Energy Berhad.

Não só as máquinas de mineração agora destruídas incorreram em danos econômicos significativos, mas também causaram apagões frequentes e levaram à demolição de três edifícios.

Sanguessugas de energia

Na semana passada, conforme relatado pela U.Today, o Serviço de Segurança da Ucrânia (SBU) também prendeu uma fazenda ilegal de mineração de Bitcoin que continha 3.800 consoles de jogos PlayStation 4. Eles estavam sendo usados ​​para mineração de criptomoedas junto com uma série de GPUs e CPUs. A operação estava roubando $ 256.500 por semana de uma distribuidora de energia em Vinnytsia, causando interrupções em algumas partes da cidade.

Esses casos são muito comuns, mas a mineração ilegal pode ocorrer até mesmo em alguns locais ultrassecretos. No início de 2018, um cientista nuclear russo foi preso por minerar criptomoedas em uma instalação de ogiva.

Fonte: U.Today

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.