McAfee identifica malware russo que utiliza o poder computacional para minerar Monero e Zcash

O vírus se espalhou ao redor do mundo, tendo grande incidência no Brasil

Recentemente pesquisadores do McAfee Labs identificaram um novo malware de cryptojacking chamado “WebCobra” que utiliza o poder computacional das vítimas para minerar Monero e Zcash.

O aumento no valor das criptomoedas citadas inspirou diversos criminosos cibernéticos. De acordo com o McAfee, o aplicativo russo WebCobra instala o minerador Cryptonight (Monero) em sistemas x86 e o Claymore (Zcash) nos sistemas x64. Assim, a criptomoeda minerada depende da configuração do computador da vítima.

Originado na Rússia, o WebCobra está espalhado pelo mundo todo, com maior incidência registrada no Brasil, Estados Unidos e África do Sul.

Entretanto, de acordo com a Trend Micro, muitos malwares de mineração permanecem indetectáveis por serem mais sofisticados. Deste  modo, a menos que haja grande comprometimento na velocidade e funcionamento, a vítima não descobre sobre a invasão.

Para prevenir tais incidentes, a McAfee recomendou que os usuários procurassem algum tipo de sinal em seus computadores, como agir sem nenhum motivo concreto.

“Ao passo que o malware aumenta o consumo, a máquina desacelera, deixando o dono com uma dor de cabeça e uma grande conta a ser quitada”

FONTE: CCN

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli