Mercado Bitcoin é o novo patrocinador do Corinthians Futebol Clube

A Exchange Mercado Bitcoin é o novo patrocinador do Corinthians, um dos clubes de futebol mais populares do Brasil.

O Mercado Bitcoin, a maior exchange de bitcoin da América Latina, fechou contrato de patrocínio com a Seleção Brasileira de futebol Sport Club Corinthians Paulista, um dos clubes de futebol mais populares do país. O acordo, anunciado durante o 111º aniversário do clube, em 1º de setembro, detalha que o Mercado Bitcoin patrocinará o Corinthians por 16 meses para estampar sua logomarca na parte frontal da camisa do clube – o ponto mais valioso.

Segundo o Presidente do Corinthians, Duilio Monteiro Alves:

Cada passo que damos para transformar o Corinthians é facilitado por parceiros que entendem o cenário atual das plataformas digitais e os hábitos de nossa torcida

Continuou:

A parceria com o Mercado Bitcoin, a maior plataforma de criptomoeda da América Latina, nos garante que estamos inovando e descobrindo novas possibilidades de marketing e engajamento. O futuro do clube está nesta inovação.

Além de levar a logomarca do Mercado Bitcoin no local mais desejado da camisa do Corinthians, a parceria permitirá ao clube oferecer educação financeira e em Bitcoin aos seus torcedores. A troca de bitcoin, que atualmente tem quase 3 milhões de clientes no Brasil, permitirá que quase 30 milhões de apoiadores do Corinthians em todo o país tenham acesso a serviços de comércio e educação de bitcoin. O acordo mutuamente benéfico também é um passo importante para ampliar a consciência e a adoção do Bitcoin no país.

Conforme Reinaldo Rabelo, Ceo do Mercado Bitcoin:

Faz todo o sentido que o Mercado Bitcoin seja parceiro do Corinthians, porque compartilhamos a mesma visão sobre democratização, pioneirismo e inovação. Além disso, acreditamos que os mundos das criptos e do futebol possibilitam, juntos, novos modelos de engajamento e o início de negócios lucrativos.

O Brasil tem visto um envolvimento maior no comércio de bitcoins do que em títulos tradicionais nos últimos anos. O mercado de bitcoin continua a se desenvolver no país sul-americano. Embora os EUA ainda não tenham aprovado um fundo negociado em bolsa de bitcoin (ETF), o Brasil sediou o primeiro ETF de bitcoin na América Latina em março e listou uma oferta neutra em carbono no mês passado.

Em julho, o Mercado Bitcoin levantou $ 200 milhões da SoftBank na rodada da série B mais significativa da história da América Latina. A controladora da troca de bitcoin, 2TM Group, avaliada em US $ 2,1 bilhões, é a oitava maior startup de unicórnio na região. Para efeito de comparação, há um total de 3,9 milhões de investidores pessoas físicas na bolsa de valores do Brasil, enquanto o Mercado Bitcoin sozinho acumula uma base de clientes de 2,9 milhões de brasileiros.

Fonte: Bitcoin Magazine

Foto de Washington Leite
Foto de Washington Leite O autor:

Formado em Administração de Empresas, sou entusiasta da tecnologia e fascinado pelo mundo das criptomoedas, me aventuro no mundo do trade, sendo um eterno aluno. Bitcoin: The money of the future

WashingtonLeite_