Mineradores de criptomoedas podem enfrentar boicote no Irã

Mineração de criptomoedas irá sofrer cortes de energia

De acordo com um comunicado, um porta voz da TAVANIR (Empresa de Geração e Transmissão de Energia do Irã) afirmou que mineradores de criptomoedas (especialmente os localizados em áreas residenciais) serão identificados e passarão por cortes de energia em breve.

Como noticiado anteriormente, a prática já perdeu um subsídio bilionário destinado a cobrir certas lacunas nos custos reais da eletricidade, e agora poderá sofrer com um possível boicote.

Justificando a medida, o porta-voz Mostafa Rajabi Mashhadi afirma que um minerador consome o equivalente a 24 residências, causando um aumento de 7% no consumo total de energia em relação ao mesmo período de 2018. De acordo com ele, utilizar a rede nacional para mineração é ilegal.

Apesar da medida já ter sido decidida, Mashhadi afirma que as autoridades ainda não estipularam uma tarifa para tal prática até o momento, deixando os mineradores em uma área cinzenta.

Aparentemente, a ideia por trás de tal movimento é fazer com que os mineradores paguem o valor real da energia consumida, sem subsídios e sem render prejuízos ao resto da população local. Com a medida, é provável que a mineração se volte para um cenário mais sustentável no país, que poderá ser posicionado entre aqueles que optaram por utilizar energia renovável para a prática.

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli