Mineradores de Nova Iorque pagarão a mais por eletricidade

De agora em diante, a mineração de criptomoedas no Estado de Nova Iorque ficará mais mais cara, visto que um dos órgãos regulamentares permitiu que fornecedores de energia do Estado cobrem taxas adicionais a empresas de mineração.

Mineração de criptomoedas em Nova Iorque mais cara

Em uma decisão [PDF] na quinta-feira, a Comissão de Serviços Públicos do Estado de Nova Iorque – órgão regulamentar de serviços públicos prestados no estado – permitiu que as empresas de eletricidade no norte do Estado cobrem taxas de energia adicionais a empresas de mineração que possuam um consumo elevado.

A mineração de criptomoedas é um processo no qual os mineradores são recompensados com moedas por criar blocos de transações validadas e acrescentá-los a um blockchain usando chips de computador específicos que extraem continuamente altas quantidades de energia.

A decisão surgiu após uma petição feita pela Agência Municipal de Energia de Nova Iorque (NYMPA), um grupo de 36 fornecedores municipais de energia no Estado no qual expressou suas preocupações com o possível aumento no custo do consumo de energia para clientes residenciais e clientes empresariais em virtude do alto consumo das empresas de mineração de criptomoedas. De acordo com o anúncio, “o aumento no número de clientes que consomem muita energia pode aumentar drasticamente a quantidade de energia complementar usada pelos sistemas, e consequentemente, causar um forte aumento nos custos cobrados aos atuais clientes”.

A petição também argumentou que os mineradores de criptomoedas “não apresentam o tradicional desenvolvimento econômico ligado a empresas que possuem um consumo de energia semelhante, além de oferecer poucos empregos e praticamente nenhum investimento de capital ligado à comunidade local”.

Leia mais: Lightning Network inicia sua fase beta

Um terço do consumo total

O anúncio também disse que em alguns casos de consumo de energia, as empresas de mineração de criptomoedas são responsáveis por um terço do consumo total da mesma, comparando-as “com um grande fabricante de papel que poderia empregar centenas de trabalhadores e usar aproximadamente um quarto da quantidade de eletricidade numa base de um pé quadrado (0,3048 centímetros quadrados)”.

Em resultado disso, o órgão regulamentar anunciou:

“A comissão permitirá que as autoridades municipais de energia criem uma nova taxa que foque nos clientes que possuam um alto consumo de energia e que não se qualifiquem como membros que auxiliam no desenvolvimento econômico local e possuam uma demanda máxima que exceda o valor de 300 quilowatts e uma densidade de energia que exceda 250 kWh por pé quadrado por ano, um consumo muito maior do que o de clientes comerciais típicos.”

A decisão de aumentar as taxas surgiu dias após oficiais na cidade de Plattsburgh – cidade que compõe a área atendida pela NYMPA – considerarem uma proibição temporária nas operações de mineração local.

Fonte: CCN.com