Ministério da Educação da Malásia utiliza Blockchain para combater fraude em diplomas de graduação

A iniciativa deve preservar a reputação e integridade das universidades

O Ministério da Educação (MoE) da Malásia anunciou em seu perfil no Twitter que está estabelecendo um Consórcio Universitário visando combater a fraude de graduação utilizando o blockchain.

De acordo com a postagem, o sistema foi criado para verificar a autenticidade dos diplomas emitidos pelas universidades. O novo consórcio será originalmente constituído por 6 universidades públicas. O sistema de verificação deve operar apoiado pelo blockchain NEM (XEM). O projeto foi desenvolvido por um grupo liderado por um professor da Universidade Islâmica Internacional da Malásia (IIUM).

De acordo com a mídia local, a iniciativa foi proposta para garantir a preservação da reputação e integridade das universidades nacionais. Ainda mais, o projeto possibilitará a proteção dos direitos dos estudantes e promover a tecnologia de contabilidade distribuída (DLT).

O ministério ainda afirmou que o principal objetivo é “disseminar o treinamento de habilidades”. Outra pretensão é auxiliar no desenvolvimento e adoção da tecnologia no ecossistema acadêmico.

Outros países também buscam inserir o blockchain no dia-a-dia das universidades.

Recentemente uma universidade apoiada pelo estado russo anunciou o armazenamento de dados de diplomas utilizando a tecnologia. De acordo com a instituição, todos os diplomas emitidos nos últimos 10 anos foram registrados.

No ano passado, o MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) se tornou a primeira universidade a emitir diplomas com a implementação da tecnologia blockchain.

FONTE: COINTELEGRAPH

Foto de Beatriz Orlandeli
Foto de Beatriz Orlandeli O autor:

Simpatizante das criptomoedas, após cursar Arquitetura e Urbanismo, reavivou um antigo gosto pela escrita e atualmente trabalha como redatora do WeBitcoin.

biaorlandeli