Mt.Gox: questões permanecem enquanto o juiz decide que o processo continuará

O processo de ação coletiva contra Mark Karpeles, antigo CEO da Mt.Gox, continuará como planejado, conforme determinou um juiz federal de Illinois

O processo diz respeito ao infame escândalo da Mt.Gox no qual milhões de dólares em Bitcoin desapareceram da hot wallet da plataforma, levando a exchange a não ser capaz de devolver os Bitcoins depositados aos seus clientes, o que desembocou no fim da exchange em 2014.

A decisão vem em resposta à mais recente tentativa de Karpeles de encerrar o processo de Gregory Greene. Dessa vez, Karpeles apresentou uma moção para julgamento sumário, procurando evitar o processo por completo, argumentando que o requerente havia alterado a base factual de sua reivindicação, o que deveria autorizar o réu a julgamento sumário.

O juiz rejeitou esse argumento, dizendo que, na medida em que o processo de Greene havia sido alterado, era apenas para adicionar detalhes em resposta às descobertas durante a fase de apuração do processo. Isso significa que a ação continuará como planejado. Os depoimentos continuarão até outubro, e Greene deve apresentar uma moção para certificar a classe em nome de quem ele procura iniciar a ação até o final de setembro.

A sequência do processo (por enquanto) oferece uma esperança renovada de que os usuários da Mt.Gox lesados podem obter alguma solução. Incrivelmente, o mistério do que aconteceu na Mt. Gox nos meses e anos que antecederam o encerramento de fevereiro de 2014 ainda está pendente. Karpeles sustenta que a Mt. Gox foi vítima de um roubo em grande escala que continuou sem ser detectado por anos antes do fechamento final em 2014.

O nível de confiança oferecido a Karpeles e à Mt.Gox apenas caiu desde 2014, com o surgimento de mais partes do quadro geral, à medida que terceiros analisam e investigam os dados disponíveis.

As desculpas oferecidas pela Mt.Gox e Karpeles sobre como eles deixaram o que era na época a maior bolsa de ativos digitais do mundo entrar em falência têm sido irregulares. A Mt. Gox inicialmente alegou que os hackers usaram ataques de maleabilidade – onde o hacker intercepta, altera e retransmite uma transação de uma maneira que faz com que o iniciador acredite que a transação não foi confirmada – para esvaziar o Mt. Gox vault, causando o colapso da exchange.

Uma pesquisa realizada em 2014 constatou que, pelo menos após janeiro de 2013, apenas 302.000 Bitcoins poderiam estar envolvidos em ataques de maleabilidade, sendo que apenas 1.811 deles são relevantes para a Mt. Gox. Por fim, o relatório só poderia explicar a perda de 386 Bitcoins por meio desses ataques, deixando centenas de milhares de Bitcoins ainda desaparecidos.

O fato de os dados voltarem para 2013 deixa em aberto a possibilidade de que a maioria dos ataques de maleabilidade da exchange tenha ocorrido no período até 2013, mas isso levanta a questão de por que nada foi notado ou nenhuma ação foi tomada até que a Mt. Gox bloqueou sua função de retirada no início de 2014.

Pesquisadores da Universidade Sun Yat-sen da China descobriram evidências de manipulação generalizada do mercado na exchange, que apontava para a Mt. Gox em si como culpada. A equipe analisou todas as transações que ocorreram na Mt.Gox entre 2011 e 2013 – e encontrou muitas transações nas quais o Bitcoin estava sendo negociado a preços significativamente superiores ou inferiores ao valor de mercado da moeda.

Definindo a barra relativamente generosa de transações em que o preço era 50% maior ou menor que o preço de mercado, os pesquisadores descobriram que 2,8% do total de transações na exchange se qualificavam. Eles também descobriram várias contas com atividades comerciais altamente suspeitas – uma conta fez 749 transações em um dia e a mesma conta foi comprada e vendida com outra conta mais de 150 vezes em um período de 24 horas.

Independentemente do resultado do processo de Greene, a Mt. Gox e Karpeles estão longe de serem modelos de honestidade e justiça, mesmo assumindo que a Mt.Gox foi de fato hackeada e que o hack foi o que levou ao fim da exchange.

Além das evidências de manipulação generalizada na bolsa, Karpeles está cumprindo uma sentença suspensa no Japão por falsificar dados para inflar artificialmente as participações na Mt.Gox. Também foram apresentadas acusações criminais acusando Karpeles de peculato e quebra de confiança agravada por sua conduta enquanto servia a Mt. Gox, mas o Tribunal absolveu-o dessas acusações.

O tribunal japonês considerou que Karpeles falsificou registros para ocultar a extensão do vazamento de Bitcoins, mas não encontrou nenhuma evidência criminal que apoiasse um veredicto de culpa pelas outras acusações.

A ação de Greene nos EUA é uma ação civil, portanto os padrões de evidência aceitos pelo tribunal serão inferiores aos usados ​​no caso criminal no Japão.

Fonte: CoinGeek

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader desde 2017. Aficionado por tecnologia e entusiasta das criptomoedas, viu no WeBitcoin a oportunidade de unir duas paixões.