NFL impõe proibição a equipes e jogadores de práticas comerciais relacionadas à criptoativos até novo aviso

Incertezas e dúvidas surgem sobre a proibição de cripto da NFL imposta a times e jogadores. As equipes não podem receber patrocínios em criptomoeda ou se envolver em NFTs.

A National Football League (NFL) proibiu os times de negociar certos tipos de negócios com empresas de criptoativos, incluindo a venda de tokens não fungíveis (NFTs) e direitos de patrocínio. Uma declaração de um oficial anônimo da equipe da NFL dizia:

“Os clubes estão proibidos de vender, ou de outra forma permitir dentro da mídia controlada pelo clube, anúncios de criptomoedas específicas, ofertas iniciais de moedas, outras vendas de criptomoedas ou qualquer outra categoria de mídia no que se refere a blockchain, ativo digital ou como empresa blockchain, exceto conforme descrito nesta política.”

Segundo relatos, a proibição é temporária, até que a NFL adote uma estratégia oficial para NFTs e criptomoedas.

O banimento da NFL ocorre depois que um grande número de seus craques e times já endossaram NFT e crypto ventures. Por exemplo, o popular quarterback Tom Brady mostrou seu apoio ao BTC no passado com olhos de laser. Brady também lançou sua própria empresa NFT chamada Autograph. Além disso, o múltiplo campeão do Super Bowl e sua esposa, a super modelo Gisele Bündchen, estão em uma parceria de longo prazo com a FTX.

Os Bradys estão longe de ser os únicos exemplos de entidades afiliadas à NFL colaborando com o cripto espaço. O New York Giants, um time popular da NFL, fez parceria com a Grayscale Investments, a maior administradora de criptoativos do mundo. Trevor Lawrence, outro zagueiro do Jacksonville Jaguars investiu em criptomoeda em maio com seu bônus de assinatura. Russell Okung, que joga como atacante, reinveste metade de seu salário no BTC. Okung até lançou sua própria marca Bitcoin e série de eventos chamada “Bitcoin Is _”.

Mais um zagueiro, desta vez para o Kansas City Chiefs, Patrick Mahomes lançou uma coleção de NFT no Marketplace há seis meses. Além disso, Rob Gronkowski do Tampa Bay Buccaneers, também vendeu uma coleção NFT.

A proibição de criptoativos da NFL surge em meio a outras ligas esportivas que exploram NFTs e oportunidades das criptomoedas

Atualmente, não há nenhuma palavra sobre como esse mandato recente da NFL afetará aqueles que já fizeram negócios com empresas de cripto. No entanto, equipes e jogadores que ainda não entraram em tais colaborações aparentemente não poderão fazê-lo. No entanto, a nova política da NFL ainda permitirá acordos de patrocínio de empresas que apoiam o cripto mercado em um nível consultivo.

Incluem a prestação de serviços de consultoria de investimento ou gestão de fundos no que diz respeito a moedas digitais. A condição aqui é que tais direitos de patrocínio sejam restritos à promoção das marcas corporativas da empresa.

Enquanto isso, outras ligas esportivas profissionais, como a National Basketball Association (NBA) e a Major League Baseball (MLB), têm interesses maiores na criptomoeda. O primeiro recentemente lançou um esquema NFT chamado de ‘ Top Shot‘ com os desenvolvedores, Dapper Labs.

A NBA pretende fazer o mesmo com a liga feminina WNBA. A MLB, por outro lado, oferece colecionáveis ​​digitais em colaboração com a Topps. A iniciativa, batizada de 2021 Topps MLB Inception NFT Collection, oferece uma série de colecionáveis ​​digitais com recursos variados.

 

Fonte: Coinspeaker

Foto de Neidson Soares
Foto de Neidson Soares O autor:

Conheceu esse universo dos criptoativos em 2016 e desde 2017 vem intensificando a busca por conhecimentos na área. Hoje trabalha juntamente com sua esposa no criptomercado de forma profissional. Bacharelando em Blockchain, Criptomoedas e Finanças na Era Digital.

neidson8