Assembleia de Nova Iorque autoriza projeto de lei para banir a mineração de Bitcoin no estado

Nova Iorque

Assembleia de Nova Iorque autoriza Lei que bani temporariamente a mineração de Bitcoin para monitorar e examinar o impacto da mineração no estado

A Assembleia do Estado de Nova Iorque aprovou uma lei de moratória de mineração para pausar todo o desenvolvimento de mineração de criptomoedas por dois anos. A essência da moratória é dar ao estado tempo suficiente para examinar o impacto da mineração no estado.

Moratória de dois anos para mineração movida a carbono

A deputada Anna Kelles patrocinou o projeto de lei projetado para impedir a emissão de novas licenças para todas as atividades de mineração de criptomoedas no estado, especialmente aquelas que usam combustível à base de carbono.

Os locais de mineração no estado que atualmente usam combustível à base de carbono não terão uma renovação de licença para expandir suas operações. De acordo com o patrocinador, a moratória dá ao estado a chance de cumprir os padrões estabelecidos na Lei de Liderança Climática e Proteção Comunitária de Nova York (CLCPA) de 2019.

O projeto de lei dividiu os membros da casa e os defensores pró-cripto argumentaram que ele proíbe as atividades de mineração de criptomoedas em geral. No entanto, Kelles insistiu que o projeto de lei se aplicaria apenas a instalações de mineração movidas a combustíveis fósseis.

Conforme Anna Kelles publicou em sua conta no twitter:

Não restringiria de forma alguma a capacidade de comprar, vender, investir ou usar criptomoedas no estado de Nova York. Este projeto de lei se refere apenas à criptomineração em larga escala em usinas de energia que usam fontes de energia baseadas em combustível fóssil atrás do medidor.

Legisladores pró-cripto se opõem ao projeto de lei

Embora o projeto de lei esteja na casa por um tempo, a indústria de criptomoedas chutou contra ele com veemência. Uma versão anterior queria uma moratória de 3 anos, mas não conseguiu o apoio dos membros da Assembleia e acabou sendo abandonada em junho de 2021.

Alguns membros da Assembleia acreditam que o projeto de lei prejudicará Nova York. Um deles é o deputado republicano Robert Smullen, que a descreveu como uma lei “anti-tecnologia” “disfarçada de lei ambiental”.

Em seu argumento, ele alegou que o projeto de lei poderia forçar os mineradores de criptomoedas a se mudarem de Nova York para outros estados. Ele argumentou ainda que acha que o estado deveria estar abraçando essas indústrias.

Mineradores de criptomoedas se manifestam contra o projeto de lei

O sentimento contra o projeto ecoa a visão da indústria de criptomoedas de que a moratória pode afetar a posição de Nova York como líder do setor.

De acordo com a Foundry respondeu ao argumento de Anne Kelles no twitter:

A Foundry ultrapassou recentemente 100 funcionários, com planos de dobrar esse número até o final do ano. Uma moratória na mineração #bitcoin tirará NY do jogo à medida que nossa indústria floresce em outros lugares, gerando empregos e dólares em impostos em outros estados que são mais acolhedores.

Essa visão também foi ecoada por seu CEO, Mike Colyer, que disse que cerca de US$ 3 a US$ 5 bilhões seriam gastos em mineração de criptomoedas nos EUA nos próximos dois anos, e a assembleia de Nova Iorque deveria estar trabalhando em “estudar a indústria, não proibindo.”

O projeto de lei ainda não virou lei. A Assembleia é a câmara baixa da legislatura de Nova York. O projeto de lei ainda pode enfrentar mais desafios no Senado de Nova York, onde está atualmente em fase de comitê.

Foto de Washington Leite
Foto de Washington Leite O autor:

Formado em Administração de Empresas, sou entusiasta da tecnologia e fascinado pelo mundo das criptomoedas, me aventuro no mundo do trade, sendo um eterno aluno. Bitcoin: The money of the future

WashingtonLeite_