Nova Zelândia: Autoridade financeira adiciona 3 plataformas de criptomoedas à sua lista negra

A autoridade pretende alertar os cidadãos dos riscos potenciais

De acordo com um anúncio da FMA (Autoridade De Mercados Financeiros) da Nova Zelândia, três sites relacionados a criptomoedas foram adicionados à lista de fraudes online.

Crypto Gain, Zend Trade e Russ Horn são os novos nomes na “lista negra” da FMA. A lista possui o objetivo de alertar cidadãos sobre os riscos potenciais de lidar com determinadas plataformas online.

Segundo a autoridade, a Crypto Gain está se passando pela empresa neozelandesa Crypto Gain Limited, utilizando o mesmo nome sem permissão.

Leia mais: China atualiza ranking de criptoativos, BTC cai mais posições

A empresa afirma possuir um certificado de incorporação concedido por autoridades locais em 2017. De acordo com o site da companhia, a empresa fornece serviços de consultoria para iniciantes em criptomoedas.

Em outubro a FMA listou diversas outras empresas relacionadas a criptoativos. A Fix Club Limited, plataforma de trade de criptomoedas, foi listada graças a falsas alegações de que ela fazia parte da área de cripto regulamentada da Nova Zelândia.

Outra empresa que entrou para a lista foi a Bitcoin Revolution, por alegar que os ministros neozelandeses estavam investindo em Bitcoin. O boato foi espalhado no final de 2017, afirmando que o Primeiro Ministro, Sir John Key possuía US$300 milhões em Bitcoin, após um investimento inicial de US$1000. Key negou as alegações.

Leia mais: IOTA será integrada à carteira hardware Ledger

FONTE: COINTELEGRAPH