O CEO da BitMEX apresenta três razões pelas quais cinco países poderiam legalizar o Bitcoin em 2022

Remessas, inflação e política: essas são as três razões pelas quais mais países poderiam seguir a decisão de El Salvador no próximo ano.

A decisão de El Salvador de oficialmente tornar o bitcoin uma moeda com curso legal dentro de suas fronteiras causou alguma controvérsia.

Embora alguns locais expressassem sua insatisfação, muitos nomes proeminentes, como Michael Saylor, elogiaram a mudança como “extraordinária” e “que abalou o mundo“.

O mundo ainda não descobriu se isso seria o início de uma revolução monetária bem-sucedida ou outra tentativa de uma figura política importante que visa ganhar poder e apoio.

Em uma postagem de blog recente, Alexander Höptner – CEO da BitMEX de câmbio de derivativos de criptomoeda – colocou-se ao lado daqueles que acreditam que esta pode ser uma iniciativa altamente benéfica.

O executivo disse que não está surpreso que todos os dirigentes do atual sistema financeiro, como o Banco Mundial, o Moody’s Investors Service e, de forma mais vigorosa, tenham atacado El Salvador. No entanto, “o que os críticos não conseguem reconhecer é que os países em desenvolvimento como El Salvador estão liderando o mundo na adoção de moedas e pagamentos digitais descentralizados”, acrescentou Höptner.

Além disso, ele previu que pelo menos cinco nações em desenvolvimento seguiriam essa experiência em 2022. E aqui estão os argumentos.

Remessas

Uma porcentagem significativa de pessoas que vêm de países como El Salvador trabalha no exterior para enviar fundos para seus parentes e, assim, proporcionar um estilo de vida melhor para eles em casa. E enquanto as principais empresas de serviços financeiros estão “roubando pessoas” com altas taxas e transações lentas, o bitcoin “com suas taxas quase insignificantes e transações rápidas 24/7/365” poderia ser a melhor solução para o problema, de acordo com Höptner.

Esta não é a primeira vez que o CEO da BitMEX compara ativos digitais e finanças tradicionais. Em uma entrevista recente para o CryptoPotato, ele disse que os desenvolvimentos que estão acontecendo no campo da criptomoeda estão acontecendo em um “ritmo muito mais rápido“:

“O que vimos acontecer no mundo financeiro tradicional nos últimos 30 anos aconteceu em 2 anos [na indústria de criptoativos].”

Inflação

O próximo motivo dado por Höptner é o risco de aumento da inflação após as consequências da pandemia COVID-19. Nem é preciso dizer que os países em desenvolvimento teriam muito mais dificuldades do que as economias avançadas. E quando a inflação começa a sacudir a rede financeira, as pessoas geralmente procuram alternativas à moeda fiduciária, como o bitcoin. Como prova dessa afirmação, o CEO da BitMEX apontou para a Turquia:

“À medida que a inflação subia bem acima de 15% este ano na Turquia, a adoção da criptomoeda disparou. A Turquia respondeu banindo rapidamente o uso de criptoativos para bens e serviços, mas a inflação está agora em 19,25%. ”

Muitos outros nomes proeminentes também apoiaram a ideia de que a criptomoeda primária pode ser uma proteção bem-sucedida contra a crise econômica. O bilionário Paul Tudor Jones III e Dawn Fitzpatrick são alguns dos que acreditam que o limite máximo do bitcoin de 21 milhões de moedas pode ser o melhor instrumento contra a impressão em massa que os bancos centrais executaram recentemente.

Política

Bitcoin não é apenas uma moeda digital. É também uma tecnologia, uma reserva de valor e, de acordo com muitos – uma representação do futuro sistema financeiro. Como tal, os políticos terão interesse em se posicionar como “pensadores progressistas, populistas e da nova era” se decidirem torná-lo um meio oficial de pagamento, afirmou o CEO da BitMEX.

Apesar de ser um defensor de tal iniciativa, Höptner alertou que os principais políticos podem aumentar sua popularidade não por causa do que conquistaram ao longo de seu trabalho, mas por causa do bitcoin:

“Esta não será uma carta de amor ao presidente Bukele de El Salvador, que está apostando seu futuro político na implementação bem-sucedida dessa política. Eu apoio a política, é claro, mas acho que há risco de longo prazo em dar muito crédito a indivíduos no espaço cripto. ”

Posteriormente, ele opinou que se um político que desempenha um papel significativo na adoção do BTC fracassar como líder, isso pode automaticamente prejudicar a imagem do principal ativo digital.

 

Fonte: CryptoPotato

Foto de Neidson Soares
Foto de Neidson Soares O autor:

Conheceu esse universo dos criptoativos em 2016 e desde 2017 vem intensificando a busca por conhecimentos na área. Hoje trabalha juntamente com sua esposa no criptomercado de forma profissional. Bacharelando em Blockchain, Criptomoedas e Finanças na Era Digital.

neidson8