O Peru está trabalhando em um CBDC com a ajuda de outros países

O Peru está trabalhando para desenvolver um CBDC. O país não quer ficar para trás, mas ainda é muito cedo para falar em qualquer implementação

O Peru está se juntando à lista de países latino-americanos que estão trabalhando ativamente no desenvolvimento de um CBDC.

Um painel sobre instituições econômicas organizado ontem durante o Congresso Anual de Executivos (CADE), o presidente do Banco Central de Reserva do Peru (BCRP), Julio Velarde, explicou que o país está avançando na criação de um sistema monetário digital, que permitirá enfrentar os desafios que se colocam no mundo financeiro.

De acordo com declarações postadas no Twitter, o titular do Banco Central explicou que o país tem conseguido superar os desafios trazidos pela pandemia do coronavírus, mas que estrategicamente sentiu a necessidade de inovar na forma de administrar as finanças.

Velarde explicou que o governo peruano está atualmente trabalhando em seu CBDC com o apoio de outros países que já estão mais avançados no assunto. No entanto, Valverde disse que ainda não estão prontos para implementar este tipo de solução financeira tão cedo, apesar dos avanços.

“Existem vários projetos importantes para o sistema de pagamentos, mas é prematuro. Temos trabalhado em uma moeda digital, estamos com a Índia e Singapura. Essa moeda será aquela que vai prevalecer no futuro, não queremos ficar para trás”.

Apesar de falar de sua cautela, o CBDC pode estar mais perto do que o esperado. Segundo declarações apanhadas pela Reuters, o país pode estar mais à frente que outros governos que já apresentam algum nível de progresso comprovado:

“Não seremos os primeiros porque não temos recursos para sermos os primeiros e enfrentar esses riscos, mas não queremos ficar para trás. Pelo menos estamos no mesmo nível ou talvez ainda mais à frente do que colegas de tamanho semelhante, embora atrás do México e do Brasil.”

A corrida por um CBDC na América Latina e região do Caribe.

Um CBDC é uma versão de moeda fiduciária emitida por um banco central com uma expressão digital não física. Diferentes tipos de tecnologia podem ser usadas, embora a mais recente e popular seja a blockchain. Por exemplo, a França já está testando um CBDC com a tecnologia blockchain da Tezos. Em contraste, a China tem um CBDC quase pronto que não usa a tecnologia blockchain.

Na América Latina e no Caribe, vários países estão em estágios avançados de implementação ou desenvolvimento de um CBDC. Além do México e do Brasil (que prometeram uma implementação para o próximo ano), as Bahamas já têm seu Sand Dollar CBDC. Ao mesmo tempo, DCash já é usado como um CBDC comum entre Antígua e Barbuda, Granada, São Cristóvão e Nevis e Santa Lúcia.

El Salvador não tem CBDC, mas há rumores de que políticos próximos do presidente Bukele estão trabalhando em uma proposta – além do fato de que o Bitcoin tem curso legal . Da mesma forma, a Venezuela possui o Bolívar digital, além de sua criptomoeda oficial, o Petro.

Portanto, o Peru tem que trabalhar muito para se recuperar, se é verdade que não quer ficar para trás.

Fonte: CryptoPotato

Foto de Neidson Soares
Foto de Neidson Soares O autor:

Conheceu esse universo dos criptoativos em 2016 e desde 2017 vem intensificando a busca por conhecimentos na área. Hoje trabalha juntamente com sua esposa no criptomercado de forma profissional. Bacharelando em Blockchain, Criptomoedas e Finanças na Era Digital.

neidson8