“O Primo Rico” tomou um susto com o preço do Bitcoin: “Pisquei e já preciso atualizar o número”

O Primo Rico revelou ter comprado Bitcoin ainda em 2014 e, posteriormente, em 2019

Muito popular nas redes sociais e dono de um canal no YouTube com mais de 4,35 milhões de inscritos, Thiago Nigro é mais conhecido pelo pseudônimo “O Primo Rico”. Nigro é famoso por falar de investimentos de uma forma simples e descontraída, o que lhe permitiu angariar um grande número de seguidores na redes sociais. E fui justamente em uma dessas redes, mais especificamente no Twitter, que O Primo Rico demonstrou espanto com a ação de preço do Bitcoin:

O susto de Nigro não é sem razão: após uma recuperação espetacular iniciada com a forte queda em março de 2020, no ápice da crise financeira impulsionada pela COVID-19, o Bitcoin fechou o ano com mais de 300% de valorização.

E é claro que, por estarmos falando de Bitcoin, o movimento não parou por aí, com a principal criptomoeda valorizando mais 35% apenas nos primeiros 7 dias de 2021, marcando inclusive um novo topo histórico em US$ 41.600.

“O Bitcoin é o meu maior arrependimento nos investimentos”

Nigro não é um dos maiores investidores de Bitcoin do Brasil, mas já admitiu ter comprado (e vendido) a principal criptomoeda em mais de uma oportunidade. Em vídeo postado em seu canal no YouTube no início de dezembro, O Primo Rico revelou ter se arrependido de se desfazer muito cedo de seus Bitcoins, ainda em 2014:

“Eu acho que nunca falei isso antes, de verdade […] Quero contar uma história: havia um cara visionário em 2014, aprendendo no mercado e com muito potencial. Esse cara era um garoto chamado Thiago Nigro. Ele tinha ouvido falar em um papo de Bitcoin por aí. O Thiago gostou muito da ideia e no dia 25 de junho de 2014 havia aberto uma conta em uma exchange de Bitcoin.

 

[…] No dia 1 do mês seguinte recebeu a mensagem: “Olá Thigas (seu nick de usuário), sua ordem foi executada”, e assim começou um caminho brilhante de investimentos.

 

Nesse dia estava eu lá e comprei Bitcoin a US$ 259, à uma cotação de dólar de R$ 2,20. Thiago Nigro chegou a comprar Bitcoin por quase 600 reais. Eu estou falando em multiplicar esse capital em quase 200 vezes. Fala se não é um cara visionário?

 

Seria, se eu não estivesse incomodado com o marasmo da oscilação de preços que não subia, nem descia. E não tinha liquidez no Brasil, pois estava começando. Nisso foi lá Thiago Nigro e vendeu todos os seus Bitcoins.”

Thiago Nigro ainda disse que esse é provavelmente o seu maior arrependimento financeiro:

“Eu não tinha grana na época, estava começando. Eu tinha investido 1 mil reais e comprado quase 2 Bitcoins. Teria quase 200 mil reais.”

Contudo, Nigro entende que não sabia se seria capaz de segurar os BTCs por muito tempo na época, além de explicar que nesse tempo conseguiu multiplicar fortemente seu patrimônio de outras maneiras.

“Esse é o meu maior arrependimento financeiro, com certeza”, completou O Primo Rico.

Por fim, Thiago Nigro explicou que, mesmo tendo vendido cedo, em 2014, tornou a comprar Bitcoin em 2019 (quase 3 Bitcoins, segundo ele), vendendo novamente na sequência a um valor de aproximadamente R$ 44.000,00.

Rindo da ironia da situação, já que após sua venda o Bitcoin ultrapassou os R$ 100.000,00 (na época da postagem do vídeo), Nigro disse que “isso acontece” e oferece “grandes lições para investimentos”:

“Em 2014 eu não tinha essa cabeça formada, mas com certeza se eu tivesse essa cabeça de hoje em 2014, eu teria deixado alguma coisa ainda nessa grande aposta (Bitcoin).”

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader aposentado. Segue firme como entusiasta do Bitcoin e inimigo declarado das pirâmides financeiras.