O que as mulheres querem? Materiais educacionais para investir em Bitcoin

Haveria mais mulheres investindo em Bitcoin se tivessem mais materiais educacionais para ajudá-las 

De acordo com a Grayscale, mulheres e homens não são tão diferentes quando se trata do interesse em criptomoedas, a questão é a educação. 

Mais mulheres investidoras indicaram não ter familiaridade com o Bitcoin (76% das mulheres contra 52% dos homens), mas 93% das mulheres pesquisadas disseram que estariam mais abertas a investir, se tivessem mais recursos educacionais disponíveis. 

A pesquisa realizada com 1.100 pessoas não especificou quantas delas eram mulheres. As pessoas foram entrevistadas entre 28 de março e 03 de abril de 2019. 

Todos os entrevistados tinham entre 25 e 64 anos e estavam envolvidos, de alguma forma, com investimentos pessoais, com pelo menos US$ 10.000 em ativos para investimento doméstico e pelo menos US$ 50.000 em renda familiar, excluindo planos de aposentadoria ou imóveis. 

A pesquisa descobriu que as mulheres eram tão propensas quanto os homens a ver o alto potencial de crescimento do Bitcoin, (56,2% das mulheres, em comparação com 56,4% dos homens). 

Mas as mulheres pareciam ser mais desconfiadas aos riscos, com 60% priorizando a segurança financeira sobre a construção da riqueza. 

Além disso, 67% das mulheres sentiram que a falta de familiaridade com o Bitcoin, as impediram de investir, em comparação com 48% dos homens. 

As mulheres pesquisadas também foram mais cautelosas referente a novidade do ativo. A ausência de um histórico foi uma preocupação observada por 65% das mulheres, em comparação com 56% dos homens.

Também, mais mulheres do que homens entrevistados admitiram ser menos experientes em investir em Bitcoin, 44% das mulheres contra 22% dos homens. 

Os pesquisadores concluíram, que o ensino superior pode ajudar muito a eliminar os medos dos investidores e estimular mais investimentos em Bitcoin e outras criptomoedas.  

Um relatório anterior da Grayscale, realizado em julho descobriu que, 43% dos investidores interessados em Bitcoin eram mulheres. 

O estudo recente descobriu que 92% das investidoras, considerariam investir se o Bitcoin tivesse um histórico mais longo. 

Por enquanto, o Bitcoin continua sendo uma indústria com mais homens. Na semana passada, quase 10% do envolvimento da comunidade Bitcoin veio de mulheres, de acordo com a Coindance

O Quartz relatou que quase 85% das empresas de blockchain entre 2012 e 2018, foram fundadas por homens. Um estudo de 2019 descobriu que desenvolvedores do sexo feminino representavam menos de 5% dos compromissos do GitHub, nos 100 principais projetos de criptomoeda. 

Ainda assim, há uma oportunidade para mais mulheres investirem em Bitcoin se tivessem mais informações. De acordo com a Grayscale, 47% das mulheres investidoras sentem um forte senso de urgência sobre o Bitcoin, do que os homens, e acreditam que agora é a hora de investir antes que os preços subam, logo, 39% dos homens pensam da mesma maneira. 

Como uma entrevistada disse à Grayscale: “Sinto que o Bitcoin, tem uma boa chance de ser uma oportunidade de investimento única na vida, que pode render muito”.

Imagem grmarc por Freepik.

Fonte: Coindesk

Foto de Mirian Romão
Foto de Mirian Romão O autor:

Graduada em Comunicação Social com ênfase em Jornalismo e Pós-Graduada em Comunicação em Redes Sociais.

mirian_romao