O que é Ethereum e como ela funciona?

A Ethereum é a segunda colocada no ranking do mercado de criptomoedas. Mas o que ela é? O que impulsiona o segundo blockchain mais valioso? Como isso funciona?

Nesta era digital, dependemos da Internet para quase todos os aspectos de nossas vidas pessoais e profissionais. Mas a internet está funcionando hoje de acordo com os ideais baseados nos quais foi construída?

Parece que não. Corporações centralizadas lotaram o espaço para atender a todas as nossas necessidades.

Alguns deles podemos chamar de Amazon, Facebook, Google etc. Eles armazenam nossos dados pessoais e profissionais, informações financeiras confidenciais, senhas e outras credenciais de login.

Esses ‘gigantes da Internet’ comprometeram repetidamente a segurança e a privacidade do usuário com inúmeros vazamentos de dados e hacks.

Isso não deve surpreender, pois grandes servidores centralizados agem como um ponto de entrada único para hackers – pessoas que procuram causar danos consideráveis ​​à empresa e a seus usuários, de todas as formas possíveis.

O criador Tim Berners Lee não queria que a Internet fosse usada como uma ferramenta para controlar a vida das pessoas. Mal sabia ele que seus piores medos se tornariam realidade.

A mais avançada aplicação de Blockchain

O início do Bitcoin em 2009 apresentou ao mundo uma forma de dinheiro verdadeiramente descentralizada, livre e segura. Mas havia outro aspecto na resposta de Satoshi à imensa crise financeira global de 2008. Uma ‘rede baseada em nós’ que formou a base de muitas aplicações seminais que viriam – a blockchain.

bitcoin blockchain in 3D

Uma dessas aplicações é a Ethereum. O Bitcoin visa enfrentar bancos e instituições financeiras de “terceiros”. A Ethereum, de acordo com o site oficial, será “a base para uma nova era da internet”.

Criar programas e aplicativos na blockchain antigamente era muito difícil. Os desenvolvedores que tinham um conhecimento sólido de codificação, criptografia e matemática só conseguiam produzir coisas. Ethereum mudou tudo isso.

Inventado por Vitalik Buterin, foi introduzida no mundo em 2015 como o primeiro blockchain programável.

Ethereum inventor Vitalik Buterin Vitalik Buterin, criador da Ethereum

 

De acordo com o Ethereum.org, milhares de desenvolvedores contribuem todos os dias, construindo aplicações para votação eletrônica,  gravação digital de ativos para conferência, regulação e trade. Alguns deles que podem ser usados ​​hoje são:

  • Aplicativos financeiros que permitem aos usuários pedir emprestado, emprestar ou investir criptoativos
  • Mercados descentralizados que permitem negociar moedas virtuais ou até negociar “previsões” sobre eventos no mundo real
  • Games em que os usuários podem possuir ativos no jogo e até ganhar dinheiro de verdade

Ao fornecer aos desenvolvedores as ferramentas para criar aplicativos, a Ethereum está possibilitando tudo isso. Mas como?

Por dentro dos Smart Contracts

Um “Smart Contract” ou “contrato inteligente” é um programa de computador que é executado automaticamente quando algumas condições específicas são atendidas. Esses programas são executados em blockchains exatamente como programados, sem possibilidade de censura, tempo de inatividade, fraude ou interferência de terceiros.

Ao contrário de outras redes de blockchain baseadas em pagamentos ou acordos financeiros, a Ethereum permite que os desenvolvedores criem todas as operações que desejarem. “Aplicativos descentralizados” ou dApps para facilitar a troca de dinheiro, conteúdo, propriedade, ações ou qualquer coisa de valor.

Mas como a Ethereum é diferente do Bitcoin?

Primeiramente, para aqueles que entender bem inglês fica a recomendação de um interessante vídeo da CNBC falando sobre o assunto. Se não for o seu caso, basta continuar lendo esse texto.

O Bitcoin era um criptoativo que funcionava bem na blockchain. Mas é apenas um sistema de liquidação monetária ponto a ponto. A Ethereum, por outro lado, estende o objetivo da blockchain de uma maneira muito mais diversificada, conforme discutido acima.

Ambas são redes blockchain de “Prova de Trabalho” (Proof-of-Work ou PoW). Os participantes (read miners ou mineradores) precisam resolver problemas complexos de matemática para gerar a moeda que alimenta ambas as redes. Estes são chamados de ‘recompensas’.

Os mineradores de Bitcoin são recompensados ​​com o BTC, enquanto os mineradores do Ethereum são recompensados ​​com o cripto token chamado Ether (ETH). As pessoas também usam a ETH para pagar pelos serviços na rede Ethereum.

Como os mineradores são recompensados na Ethereum?

Gas é o segundo tipo de token na Ethereum. Os mineradores ganham gas para incluir transações em seus blocos. Toda execução inteligente de contrato custa ‘gas’. Isso é para motivar os mineradores a incluir a transação na blockchain.

A Ethereum certamente promete muito se tornar a web descentralizada ou a Web 3.0. O blockchain público já recebeu muitas críticas ao longo dos anos desde seu início. Se a Ethereum pode ou não dar vida a uma Internet verdadeiramente descentralizada, ainda nos resta descobrir.

*Imagem de: WorldSpectrum por Pixabay

Fonte: Bitcoinist

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader desde 2017. Aficionado por tecnologia e entusiasta das criptomoedas, viu no WeBitcoin a oportunidade de unir duas paixões.