Oito em cada dez trabalhadores acreditam que nunca serão seus próprios chefes

Estudo no Reino Unido aponta que a maioria dos trabalhadores não acreditam que um dia serão seus próprios chefes: custos iniciais e ansiedade estão entre os principais motivos

Muitos trabalhadores têm aspirações de se tornarem seus próprios chefes – mas a grande maioria dos entrevistados para uma nova pesquisa não achou que isso fosse acontecer um dia.

Apesar de 46% dos entrevistados nutrirem ambições empreendedoras, 82% temiam que nunca tivessem a chance de seguir seu sonho.

Mais de um em cada dez achou que tinha uma ideia de negócio vencedora tão grande que poderia mudar uma indústria inteira, se pudesse dar vida a ela.

Mas a pesquisa sugeriu que custos iniciais, ansiedade pelo sucesso dos negócios e falta de know-how (saber fazer) estão impedindo muitas pessoas de dar o salto.

A pesquisa internacional com 23.500 participantes – abrangendo 24 países e incluindo 1.000 pessoas no Reino Unido – analisou os sonhos de empreendedorismo de pessoas em todo o mundo, bem como suas motivações e os desafios que enfrentam.

Internacionalmente, o principal motivo para iniciar um negócio foi seguir uma paixão – mas para os entrevistados britânicos, esse foi apenas a segunda razão para se tornar seu próprio chefe.

Outras razões foram sustentar a família (33%), querer mais flexibilidade no trabalho (32%) e mudar de carreira (25%).

Três em cada dez aspirantes a empreendedores britânicos já haviam tomado medidas para abrir seus negócios.

Quase oito em cada dez entrevistados do Reino Unido interessados ​​em iniciar um negócio se sentem sobrecarregados com a perspectiva, com 57% citando os custos iniciais como a maior barreira ao empreendedorismo.

Para financiar os custos iniciais, 60% dizem que usariam seu próprio dinheiro, seguido por dinheiro da família (20%) e empréstimos para pequenas empresas (20%).

“Iniciar um negócio a partir do zero pode ser assustador, mas a oportunidade de seguir sua própria paixão pode ser uma experiência libertadora e emocionante”, disse John DeSimone, co-presidente e diretor estratégico da Herbalife Nutrition, que encomendou o estudo.

Dos entrevistados que atualmente têm um negócio, um quarto deu o salto e o iniciou por causa da intuição, enquanto outros tiveram uma mudança na renda ou um dia ruim no trabalho.

Desde a ideia inicial até o início do negócio, os entrevistados levaram uma média de três anos.

*Imagem de: Igor Link por Pixabay

Fonte: Independent

Foto de Marcelo Roncate
Foto de Marcelo Roncate O autor:

Estudante de História e trader desde 2017. Aficionado por tecnologia e entusiasta das criptomoedas, viu no WeBitcoin a oportunidade de unir duas paixões.